Projeto proporciona vivência com a arte

O projeto teve início em 2009 e é desenvolvido dentro da grade da disciplina Metodologias do Ensino das Artes Visuais I e II com Estágios Supervisionados, a partir do quarto semestre do curso de Licenciatura em Artes Visuais.
Durante o módulo I, os alunos realizam a observação e a caracterização da escola e discutem a importância da arte na aprendizagem do professor, sendo ele de qualquer área do saber. Eles aprendem como a arte pode ser um instrumento para transformar. “O semestre que antecede a parte prática é bem interessante, porque fazemos uma reflexão profunda do papel do professor de arte na formação dos alunos atualmente. Desenvolver apenas a técnica não é o bastante, eles precisam entender o que estão fazendo para que aquilo possa passar a ser um saber deles”, diz Sumaya.

No módulo II, eles planejam e ministram oficinas para as classes do primeiro ao quarto ano do Ensino Fundamental. Eles aprendem como o planejamento e a regência de aulas de arte é um trabalho que exige estudo, pesquisa e ação criadora e pode ser muito prazeroso. “Fazemos uma reflexão profunda sobre a aprendizagem artística e o papel do professor de arte na formação dos alunos. Desenvolver apenas técnicas de ensino não é o bastante, eles precisam conquistar autonomia intelectual e metodológica”, acredita Sumaya.

alunos realizam a observação e a caracterização da escola e discutem a importância da arte

O projeto se mostra uma grande e única oportunidade para os alunos, pois eles podem se dedicar inteiramente ao estágio e têm tempo para pensar na sua atuação. Diferentemente dos estágios comuns, que acontecem fora das universidades, como em colégios particulares por exemplo, a proposta desta disciplina não é exigir um banco de horas a ser cumprido, nem relatórios sobre o que foi feito ou o que se deixou de fazer.

Os universitários fazem uma série de visitas à escola e conhecem os alunos durante o semestre teórico. É quando eles vão se ambientar à sua dinâmica de funcionamento, além de escolher a turma com a qual desejam trabalhar no semestre seguinte. “A pesquisa-ação de cada aluno começa quando ele define uma turma para trabalhar do primeiro ao quinto ano do ensino fundamental. Ele ficará com essa turma durante todo o semestre e pensará suas atividades sempre para as mesmas crianças, a partir das características e necessidades delas”, diz Sumaya. Isso permite que os universitários entendam como é a realidade do professor, com todos os problemas que surgem durante um semestre, os conflitos e as relações de poder que se desenvolvem dentro do ambiente escolar.

Pesquisa-ação de cada aluno começa quando ele define uma turma para trabalhar. Ele ficará com essa turma durante todo o semestre

Veja também:
Universitários proporcionam diferentes experiências no ensino público
Intervenções em forma de oficinas

Agência USP de Notícias
| Agência USP agora é Jornal da USP | Créditos | Direitos autorais | Newsletter | Sobre a Agência
Rua da Reitoria, 109 bloco L - 5º andar
CEP 05508-900 - São Paulo - Brasil
E-mail: Fale Conosco


© 2000-2021 Universidade de São Paulo