Acompanhar amamentação de filhos é positivo para homens
Participar do aleitamento dos seus filhos mostrou ser importante para os homens

A participação do processo de amamentação dos filhos, além de ser importante na preparação do homem para a paternidade, constrói um ambiente doméstico colaborativo. De acordo com a professora da Universidade de Marília (Unimar) e doutora em Enfermagem, Tereza Lais Menegucci Zutin, “a percepção dos homens, em sua maioria, é de que acompanhar o processo de amamentação do filho representa uma experiência marcante”.

Lais é autora do estudo A posição do homem no processo de amamentação: um ensaio sobre a produção de sentidos, apresentado na Escola de Enfermagem (EE) da USP sob orientação da professora Isilia Aparecida Silva. Para realizar sua pesquisa de doutorado, iniciada em 2008, a professora entrevistou sete homens, residentes no Município de Marília, em São Paulo, de qualquer idade, condição socioeconômica e cor, que fossem pais de bebês nascidos na Maternidade Gota de Leite. Outro critério estabelecido foi de que estes homens morassem com as mães dos seus filhos pelo menos desde o nascimento destes. Dessa forma, submeteu esses homens a questionários e entrevistas para verificar as impressões masculinas durante processos de aleitamento.

A Associação Feminina de Marília Maternidade “Gota de Leite” é uma instituição que completou 82 anos de assistência em Marília. Nesta instituição, a maioria dos seus leitos são destinados à rede SUS, ainda que também receba pacientes particulares. Além da realização de partos e outras assistências pré-natais, na Associação são oferecidos às famílias cuidados após o nascimento dos bebês, inclusive com campanhas de estímulo ao aleitamento dos recém-nascidos por suas próprias mães.

Demandas familiares
Nas entrevistas para a pesquisa, foi questionado a esses homens como era a sua experiência como homem e marido na vivência do processo de amamentação de seus filhos. Buscar essas impressões auxiliou na compreensão de como é “A Posição” do homem no processo de amamentação: como ele se posiciona, como ele se sente e como ele explica; As ações do homem no processo de amamentação: o que ele faz? como ele percebe o que faz? e As relações familiares no processo de amamentação: como ele descreve as relações e o que fazem as pessoas.

Segundo a professora, acompanhar este processo, tão relacionado às mães e às mulheres, faz com que os homens tenham condições para entender e apoiar suas companheiras. Assim, “a experiência do homem no processo de amamentação mostra uma significativa transformação do papel masculino”, pois conforme Lais nos diz, incluir homens nas demandas familiares os coloca em situações que antes, devido às pressões sociais, eles não reconheciam. “Torna-se também um universo de oportunidades de integração familiar e de reconhecimento da figura paterna, que vai além do conceito do homem provedor de recursos, embora ainda esta personagem resista, para alguns”, termina.

Imagem: Marcos Santos / USP Imagens

Mais informações: email laiszutin@hotmail.com

Agência USP de Notícias
| Agência USP agora é Jornal da USP | Créditos | Direitos autorais | Newsletter | Sobre a Agência
Rua da Reitoria, 109 bloco L - 5º andar
CEP 05508-900 - São Paulo - Brasil
E-mail: Fale Conosco


© 2000-2022 Universidade de São Paulo