Pós-graduandos de Angola

Por Marcela Baggini, da Assessoria de Imprensa da EERP

No mês de março, a Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto (EERP) da USP recebeu o primeiro grupo de mestrandos em obstetrícia de Angola. Supervisionados pela professora Ana Maria de Almeida, eles vieram ao Brasil em busca de ferramentas acadêmicas para melhorar a saúde dos angolanos.

“O país deles, em 2009, tinha a maior taxa de mortalidade materna do mundo”, conta a professora, que vê o mestrado como uma forma de olhar para a realidade daquela comunidade e buscar soluções para a situação do país.

Segundo Mario de Jessu Setumba, um dos seis alunos que ficaram duas semanas em Ribeirão Preto, Angola é um país que está debilitado devido às constantes guerras. Porém, alguns passos já auxiliam no desenvolvimento. “Uma lei que foi recentemente implantada diz que o povo não pode andar mais que 500 metros a procura de uma unidade de saúde”, conta o aluno. “Isso é um grande investimento para dar o acesso à saúde para a população”, completa.

O grupo, formado por Setumba e as colegas Dikudila Glória Vita, Eugênia Suzana Quizela, Maria de Jesus Muquenda Mangumbala, Domingas dos Santos Neto Alexandre e Anabela Angela Pascoal Gama, tem dois desafios pela frente. “O primeiro é terminar as pesquisas começadas aqui até junho e o segundo, e mais importante, usar os conhecimentos adquiridos para melhorar a qualidade de vida do povo angolano”, diz a professora.

Mais informações: (16) 3315-3432

Agência USP de Notícias
| Agência USP agora é Jornal da USP | Créditos | Direitos autorais | Newsletter | Sobre a Agência
Rua da Reitoria, 109 bloco L - 5º andar
CEP 05508-900 - São Paulo - Brasil
E-mail: Fale Conosco


© 2000-2018 Universidade de São Paulo