Tecnologia produz cerâmica com alto isolamento térmico

Keite Marques da Assessoria de Comunicação da EESC
comunicacao@eesc.usp.br

Tecnologia permite obter cerâmicas porosas com alta eficiência de isolamento térmico

Na Escola de Engenharia de São Carlos (EESC) da USP, o trabalho de pós-doutoramento da pesquisadora Vânia Regina Salvini propõe uma tecnologia limpa e inovadora para a obtenção de cerâmicas porosas com alta eficiência de isolamento térmico. O material poderá ser usado no revestimento de equipamentos da indústria cerâmica, tais como fornos de alta temperatura para queima de revestimentos, louças, refratários e outros materiais cerâmicos. O trabalho Green and reliable macro-porous ceramics: processing and properties, desenvolvido no Programa de Pós-Graduação em Ciências e Engenharia de Materiais da EESC foi premiado na Itália pelo Italian Ceramic Tecnology Award 2015, na área de materiais isolantes térmicos para novas tecnologias visando a redução do consumo de energia na indústria.

A pesquisadora explicou que as conclusões apresentadas demonstraram que as cerâmicas porosas produzidas pelo método desenvolvido favoreceram a obtenção de materiais celulares com alta porosidade (75% a 85%) e a adequada resistência mecânica para uso como revestimento isolante em fornos e baixa condutividade térmica em altas temperaturas.

O material cerâmico poroso desenvolvido nesta pesquisa pode ser aplicado como revestimento isolante para fornos que operam em temperaturas acima de 1.500 graus celsius (°C). “Atualmente, já temos resultados do alto desempenho desse material como isolante térmico em fornos para 1.700 °C à vácuo”, explicou a autora. À medida que a temperatura aumenta, o ponto de máximo do espectro de emissão da radiação térmica se desloca para valores menores de comprimento de onda, e a intensidade emitida é aumentada. Essa informação é fundamental para o projeto de microestrutura de materiais cerâmicos porosos isolantes.

“Se a faixa de comprimentos de onda entre 1μm e 3μm for espalhada com alta eficiência, a resistência à condução térmica será aumentada e o material cerâmico poroso apresentará alto desempenho como isolante térmico nessa faixa de temperatura”, explicou o professor da EESC, Waldek Wladimir Bose Filho, orientador da pesquisa.

Equipe multidisciplinar
Vânia afirmou que o sentimento ao receber o prêmio foi de muita alegria e satisfação profissional, compartilhado com os pesquisadores do grupo Núcleo de Ensaios de Materiais e Análise de Falha (NEMAF) da EESC e do Grupo de Engenharia de Microestruturas de Materiais (GEMM) da UFSCar. “Esse prêmio é o reconhecimento do trabalho de uma equipe multidisciplinar de pesquisadores em materiais cerâmicos porosos”, destacou.

Para Bose, o trabalho tem grande importância na inovação dos materiais cerâmicos isolantes térmicos para temperaturas elevadas, e o prêmio significa “o reconhecimento pela comunidade industrial internacional da aplicabilidade do trabalho na área para a redução dos custos de energia e com foco em sustentabilidade. Dessa forma, a EESC mais uma vez tem reconhecida internacionalmente a sua excelência em pesquisa”.

A cerimônia da premiação foi realizada em dezembro de 2015, na cidade de Varese, Itália. O prêmio proporcionou à autora uma semana naquele país para realização de um curso sobre o setor produtivo italiano na University Carlo Cattaneo (LIUC), com visitas técnicas a empresas do setor cerâmico em Ímola, Modena, Bolonha e Sassuolo.

O evento realizado pela Italian Trade Agency (ITA) teve o objetivo de estimular a produção científica voltada para aplicação industrial cerâmica, bem como divulgar a avançada tecnologia italiana e desenvolver contatos com jovens profissionais.

O trabalho foi orientado pelo professor do Departamento de Engenharia de Materiais (SMM) da EESC, Waldek Wladimir Bose Filho, contando com a coorientação na área de propriedades termomecânicas de cerâmicas refratárias do professor do Departamento de Engenharia de Materiais (DEMa) da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), Victor Carlos Pandolfelli, além da participação do pesquisador da Embrapa Instrumentação, Paulo Renato Orlandi Lasso, e da pesquisadora do DEMa, Ana Paula da Luz. O trabalho premiado será publicado pela American Ceramic Society na revista International Journal of Applied Ceramic Technology. Os resultados serão apresentados no 59th Eurogress, que acontecerá em Aachen, na Alemanha, em setembro deste ano.

Foto: Gianmaria Bardelli/Wikimedia Commons

Mais informações: (16) 3373-6600 / 3373-6700

Agência USP de Notícias
| Créditos | Direitos autorais | Newsletter | Sobre a Agência
Rua da Reitoria, 109 bloco L - 5º andar
CEP 05508-900 - São Paulo - Brasil
+55 11 3091-4411 - E-mail: agenusp@usp.br


© 2000-2016 Universidade de São Paulo