ISSN 2359-5191

17/12/2007 - Ano: 40 - Edição Nº: 99 - Saúde - Faculdade de Saúde Pública
Café da manhã na rua pode trazer problemas à saúde

São Paulo (AUN - USP) - Com a correria da vida moderna, muitas pessoas têm deixado de tomar café-da-manhã em casa para comprar algo na rua antes de ir trabalhar. As barraquinhas de produtos para café da manhã ?? aquelas que ficam nas calçadas e oferecem desde o tradicional cafezinho ao mais apetitoso e recheado bolo de chocolate - são opções práticas e econômicas, mas todo cuidado é necessário: os alimentos que vendem podem ser nocivos à saúde.

Pedro Manuel Leal Germano, professor da Faculdade de Saúde Pública da USP (FSP-USP) e coordenador do curso de especialização em Vigilância Sanitária de Alimentos explica que os riscos variam conforme o alimento que é consumido, mas o local em que são vendidos já tem, por si só, um grau de nocividade: ??não há locais para lavagem das mãos e a poeira é constante?, fala. As doenças com mais chance de serem adquiridas se os alimentos não forem higienicamente manipulados e escolhidos são as gastrointestinais, como por exemplo, a salmonela, estafilococos e coliformes.

Um dos alimentos apontados por ele como de maior risco à saúde é o bolo cremoso. Os bolos secos apresentam baixo perigo, enquanto os cremosos podem mais facilmente acarretar problemas à saúde do consumidor. ??? preciso saber onde foram processados - na casa de quem; como foram transportados; onde estavam estocados; quanto tempo permaneceram expostos até serem consumidos?, alerta o professor.

Já o segundo alimento que os consumidores desses produtos devem se atentar é o leite in natura servido frio. Germano explica que quem se propõe a comprá-lo nessas barracas deve se atentar para a procedência do produto, já que ele oferece alto risco, principalmente de transmissão de tuberculose de origem bovina e de brucelose. Mas, por outro lado, quando o leite foi aquecido a altas temperaturas, a chance de contrair doenças ingerindo-o reduz consideravelmente, já que nessas condições muitos microorganismos prejudiciais à saúde acabam morrendo. Por isso, o café quente servido em xícaras descartáveis também pode ser consumido com mais tranqüilidade.

Quanto ao pãozinho, os riscos de contaminação do alimento em si são baixos já que ele é levado ao forno. Mas, se os vendedores não tomarem os devidos cuidados de higiene ?? uso de luvas, touca, cobrir os alimentos da poeira, utensílios bem higienizados etc. ?? esse risco pode aumentar.

O pesquisador aponta ainda quais soluções acredita serem as mais eficientes para melhorar a higiene desses locais e reduzir o risco de nocividade à saúde: cadastrar os vendedores ambulantes e oferecer-lhes cursos rápidos sobre princípios básicos de higiene, além da realização de campanhas de esclarecimento da população sobre os riscos da alimentação nesses locais ?? como se defender, como reconhecer o que está muito errado.

Leia também...
Agência Universitária de Notícias

ISSN 2359-5191

Universidade de São Paulo
Vice-Reitor: Vahan Agopyan
Escola de Comunicações e Artes
Departamento de Jornalismo e Editoração
Chefe Suplente: Ciro Marcondes Filho
Professores Responsáveis
Repórteres
Alunos do curso de Jornalismo da ECA/USP
Editora de Conteúdo
Web Designer
Contato: aun@usp.br