ISSN 2359-5191

05/11/2009 - Ano: 42 - Edição N¬ļ: 78 - Meio Ambiente - Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz
‚??Solo na Escola‚?Ě desperta ci√™ncia em alunos da rede municipal

S√£o Paulo (AUN - USP) - Uma antiga estufa, materiais que simulam a transforma√ß√£o das rochas em solo. Experimenta√ß√Ķes qu√≠micas e f√≠sicas realizadas a partir de materiais recicl√°veis mostram para crian√ßas e jovens detalhes importantes da preserva√ß√£o ambiental. Tal √© o cen√°rio onde funciona o Projeto Solo na Escola, coordenado pelo professor Antonio Carlos de Azevedo, do Departamento de Solos da Escola Superior de Agricultura ‚??Luiz de Queiroz‚?Ě (Esalq) da USP.

Os estudantes participantes não são bolsistas e realizam monitoria de forma voluntária, apresentando aos alunos visitantes das escolas municipais de Piracicaba assuntos didáticos relacionados aos diversos tipos de solos, com ênfase na preservação ambiental dos ecossistemas terrestres e como estes influem na qualidade de vida das pessoas.

Azevedo explica que a nova proposta curricular diminuiu a possibilidade de as escolas realizarem passeios com seus alunos, por isso, haver√° mudan√ßas no projeto para o pr√≥ximo ano. ‚??Queremos ampliar os estudos, levando nosso trabalho diretamente √†s escolas‚?Ě, ressalta. ‚??Estamos analisando quais locais oferecem estrutura necess√°ria ou podem sofrer altera√ß√Ķes‚?Ě.

Formação educacional
O trabalho n√£o se resume a exibi√ß√Ķes cient√≠ficas, o professor afirma o interesse do grupo em valorizar a rela√ß√£o entre universidade e comunidade: ‚??Muitas vezes os alunos visitantes nos perguntam se √© preciso pagar para estudar na Esalq e como funciona o vestibular; portanto, al√©m de colaborar com a forma√ß√£o educacional, tamb√©m despertamos o interesse para carreira acad√™mica na pr√≥pria institui√ß√£o.‚?Ě

Para Josiane Lopes, mestranda que ajudou Azevedo na implementa√ß√£o do projeto, o contato com os professores da rede municipal faz a diferen√ßa. ‚??Orientamos os professores em assuntos referentes aos solos e meio-ambiente, al√©m de fornecer o material pedag√≥gico que constru√≠mos, muitas vezes, com ajuda dos alunos.‚?Ě

O que surpreende o grupo √© o novo olhar que todos tiveram ap√≥s o contato com os alunos da rede municipal. Ao ensinar os princ√≠pios geol√≥gicos, incluindo no√ß√Ķes de qu√≠mica e f√≠sica, aumentando os conceitos dos alunos e auxiliando os professores, o graduando √© o mais beneficiado. ‚??Somos privilegiados, pois a viv√™ncia acad√™mica necessita do fator realidade, oferecido atrav√©s dos projetos educacionais e de extens√£o‚?Ě, argumenta Azevedo.

Leia também...
Nesta Edição
Destaques

Educação básica é alvo de livros organizados por pesquisadores uspianos

Pesquisa testa software que melhora habilidades fundamentais para o bom desempenho escolar

Pesquisa avalia influência de supermercados na compra de alimentos ultraprocessados

Edi√ß√Ķes Anteriores
Agência Universitária de Notícias

ISSN 2359-5191

Universidade de S√£o Paulo
Vice-Reitor: Vahan Agopyan
Escola de Comunica√ß√Ķes e Artes
Departamento de Jornalismo e Editoração
Chefe Suplente: Ciro Marcondes Filho
Professores Respons√°veis
Repórteres
Alunos do curso de Jornalismo da ECA/USP
Editora de Conte√ļdo
Web Designer
Contato: aun@usp.br