ISSN 2359-5191

01/12/2010 - Ano: 43 - Edição Nº: 110 - Educação - Instituto Butantan
Atividade no Butantan aproxima pessoas das cobras

São Paulo (AUN - USP) -A atividade do Instituto Butantan conhecida como ??Mão na Cobra só no Butantan? aproxima as pessoas daquilo que nos acostumamos a ver no National Geographic ou no Discovery Channel: o contato com o mundo animal desconhecido. Nela, é possível pegar na mão, palpar, tocar e admirar uma cobra coral falsa.

Durante uma hora, três voluntários do Laboratório de Ecologia e Evolução fazem explicações gerais sobre como é a atividade e tiram dúvidas acerca dos répteis, de venenos, e do próprio Instituto.

Encerradas as perguntas, é aberta a sessão que dá o nome ao projeto. Segundo Natália Ferreira, uma das voluntárias, o nome é sugestivo. ??Se chama Mão na Cobra só no Butantan exatamente para enfatizar que isso só deve ser feito aqui no Butantan, pois o risco disso é muito grande. Aqui, são cobras falsas, sem veneno, mas diferenciar na natureza pode ser muito arriscado. Achou cobra, não mexe?.

Um dos objetivos, segundo os voluntários, é desmistificar temas referentes aos répteis, principalmente às serpentes. ??Várias histórias se tornam verdades pela força da repetição. Aqui a gente passa o que realmente ocorre. Por exemplo, sobre a troca de pele. ? mito dizer que os anéis significam anos de vida. Na verdade, quando pequenas, elas trocam várias vezes de pele, o que significa mais anéis?, relata Natália.

As reações do público, enquanto pegando a coral, são diversas. No início, espanto. Depois de um tempo, algumas risadas. Pessoas que passam no momento da atividade param por um tempo, observam espantadas, tecem algum comentário, e continuam sua caminhada.

Além da desmistificação de mitos, outro objetivo crucial da atividade é a conscientização das pessoas. ??A gente foca no aspecto conservação. Com a urbanização, várias espécies desapareceram, então é preciso conscientizar as pessoas. E é gratificante, vem gente de todas as idades, de todos os lugares para participar?.

O projeto acontece toda quinta-feira das 14h30 às 15h30 perto do serpentário, e durante as férias conta com uma programação especial para melhor atender aos visitantes, geralmente famílias, estudantes e curiosos em geral.

Leia também...
Nesta Edição
Destaques

Educação básica é alvo de livros organizados por pesquisadores uspianos

Pesquisa testa software que melhora habilidades fundamentais para o bom desempenho escolar

Pesquisa avalia influência de supermercados na compra de alimentos ultraprocessados

Edições Anteriores
Agência Universitária de Notícias

ISSN 2359-5191

Universidade de São Paulo
Vice-Reitor: Vahan Agopyan
Escola de Comunicações e Artes
Departamento de Jornalismo e Editoração
Chefe Suplente: Ciro Marcondes Filho
Professores Responsáveis
Repórteres
Alunos do curso de Jornalismo da ECA/USP
Editora de Conteúdo
Web Designer
Contato: aun@usp.br