ISSN 2359-5191

04/11/2011 - Ano: 44 - Edição Nº: 105 - Sociedade - Cinusp Paulo Emílio
O Céu Sobre os Ombros aposta em festivais e é exibido no Cinusp

São Paulo (AUN - USP) - Na última sexta-feira, o Cinusp foi palco para a exibição do filme O Céu Sobre os Ombros, como parte da 35ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo. Com estreia no circuito comercial marcada para dia 18 deste mês, o longa ganhou, ano passado, cinco Candangos no Festival de Brasília do Cinema Brasileiro e o prêmio de melhor documentário do Festival Internacional de Cinema do Uruguai.

O filme conta as histórias de três personagens singulares. Um escritor descendente de africanos desiludido com a vida, que não publica seus livros e tem um filho com deficiência mental. Um atendente de telemarketing hare krishna que divide seu tempo entre o trabalho, a torcida organizada Galoucura, o skate e a pixação. Um transexual com mestrado sobre os diários de um hermafrodita que divide seu tempo entre as aulas que ministra, sobre gêneros, e a prostituição.

??Eu comecei a procurar pessoas que pudessem parecer, de alguma maneira, personagens inventados?, define Sérgio Borges, diretor do longa. Mas apesar de ter ganho prêmio como documentário no Uruguai e de os atores serem as próprias personagens, Borges não considera seu filme documentário. ??Quando a gente coloca uma câmera mediando essa relação, algo se transforma também porque as pessoas de alguma maneira reencenam a si mesmas?. O diretor se justifica argumentando que muitas cenas do filme foram deliberadamente encenadas. Para filmar as histórias, a equipe acompanhou cada ator/personagem durante uma semana fazendo o que faziam naturalmente. No final de cada semana, algumas cenas eram encenadas.

Inicialmente, o filme foi pensado para ser um documentário sobre fluxos migratórios, cujo nome seria Cidades Invisíveis. Durante a pesquisa, Borges leu o livro homônimo, de Ítalo Calvino, que aborda a relação entre realidade e desejo. ??Daí foi a semente inicial do filme?, conta Borges.

Estrutura
O Céu Sobre os Ombros foi feito com R$ 120 mil. Já Xuxa em O Mistério de Feiurinha teve quase R$ 6,5 milhões captados usando a Lei de Incentivo à Cultura, segundo a Ancine. Para que O Céu... pudesse ser filmado, a equipe se resumiu a quatro pessoas: dois câmeras, um assistente de som e um assistente de câmera. A produtora, Teia, foi escolhida por fazer filmes em sistema doméstico.

O longa estreará no circuito comercial nacional este mês mas Sérgio Borges não tem grandes pretensões. Sua aposta são os circuitos de festivais de cinema, como a Mostra Internacional. Até agora a película participou, entre ano passado e esse ano, de 31 festivais.

Leia também...
Nesta Edição
Destaques

Educação básica é alvo de livros organizados por pesquisadores uspianos

Pesquisa testa software que melhora habilidades fundamentais para o bom desempenho escolar

Pesquisa avalia influência de supermercados na compra de alimentos ultraprocessados

Edições Anteriores
Agência Universitária de Notícias

ISSN 2359-5191

Universidade de São Paulo
Vice-Reitor: Vahan Agopyan
Escola de Comunicações e Artes
Departamento de Jornalismo e Editoração
Chefe Suplente: Ciro Marcondes Filho
Professores Responsáveis
Repórteres
Alunos do curso de Jornalismo da ECA/USP
Editora de Conteúdo
Web Designer
Contato: aun@usp.br