ISSN 2359-5191

04/08/2014 - Ano: 47 - Edição Nº: 40 - Economia e Poltica - Instituto de Relações Internacionais
Rogue states cultivam a própria reputação como estratégia internacional

Os países denominados rogue states, considerados “estados vilões” pelos Estados Unidos, enfatizam a própria reputação para fortalecer sua baixa capacidade bélica. Foi o que concluiu Karen Katarine Mizuta em sua dissertação de mestrado para o Instituto de Relações Internacionais (IRI) da Universidade de São Paulo. Segundo a pesquisadora, o arsenal bélico desses países, mesmo pequeno, adquire força por estar nas mãos de um Estado considerado deliquente e irracional no cenário internacional.

Apesar disso, a pesquisadora defende que a posição norte-americana ainda é um elemento chave para a denominação de um país como “estado vilão”, e afirma que os Estados Unidos usam dessa reputação para demonizá-los e excluí-los do sistema internacional. Entre os critérios normalmente descritos para a rotulação desses países estão a aquisição de armas nucleares, subversão ao sistema internacional, envolvimento com terrorismo, irracionalidade, mas, também, aversão aos Estados Unidos.

“O conceito e rótulo rogue state é uma construção social da política externa americana.”, afirma Karen. “Este parte da própria percepção americana em relação ao comportamento de determinados países. No entanto, este conceito não é sustentável, na medida em que é aplicado pelo governo americano de maneira subjetiva e não utilitária, se observado os critérios apontados para tal denominação e a real utilização do conceito.”

A pesquisa partiu de um levantamento bibliográfico, analisando a evolução história do conceito de rogue state, seu surgimento e suas implicações. Foram levantados documentos oficiais do governo americano, além de material acadêmico. No entanto, foram analisados apenas dados empíricos e discursos de lideranças de países como Iraque e Coréia do Norte, devido à dificuldade de acesso a documentos oficiais sobre seus programas nucleares.

Leia também...
Nesta Edição
Destaques

Educação básica é alvo de livros organizados por pesquisadores uspianos

Pesquisa testa software que melhora habilidades fundamentais para o bom desempenho escolar

Pesquisa avalia influência de supermercados na compra de alimentos ultraprocessados

Edições Anteriores
Agência Universitária de Notícias

ISSN 2359-5191

Universidade de São Paulo
Vice-Reitor: Vahan Agopyan
Escola de Comunicações e Artes
Departamento de Jornalismo e Editoração
Chefe Suplente: Ciro Marcondes Filho
Professores Responsáveis
Repórteres
Alunos do curso de Jornalismo da ECA/USP
Editora de Conteúdo
Web Designer
Contato: aun@usp.br