ISSN 2359-5191

05/06/2000 - Ano: 33 - Edição Nº: 08 - Economia e Poltica - Instituto de Estudos Avançados
Perspectivas da economia coreana serão discutidas no IEA

São Paulo (AUN - USP) - Após o choque recebido com a recente crise asiática, a economia coreana vem conseguindo se recuperar. Progressivamente insere-se no mercado globalizado, o que parece apontar para boas perspectivas de desenvolvimento. Para discutir os meios pelos quais ocorreu esta recuperação o Instituto de Estudos Avançados (IEA/USP) realizará dia 30 de agosto o evento "A Coréia no Século XXI", onde será organizada uma mesa-redonda na qual serão expostas quatro reflexões abordando diferentes aspectos sobre o tema.

A economia sul coreana não se insere na globalização como uma simples vítima, aceitando passivamente as exigências da integração econômica global. Ao contrário, ela começa a adquirir uma posição agressiva, sendo uma prova disso a atuação e desenvolvimento dos Chebols (conglomerados empresariais). Indústrias sul coreanas como a Samsung e empresas automobilísticas passam a investir no exterior, ampliando sua área de atuação principalmente em partes da Europa e América Latina, tema que será o centro de uma das reflexões, desenvolvida pelo professor Gilmar Macieira.

As mudanças econômicas não poderiam deixar de atingir fortemente a população civil, causando mudanças em seu modo de vida. O professor Plínio Arruda Sampaio Filho, então, centrou sua reflexão na ação da sociedade civil em meio às constantes transformações do país.

A crise do leste asiático representou um ataque muito forte às economias locais, e especialmente à sul coreana, exigindo uma forte mobilização do sistema financeiro, e adaptações deste para enfrentar a crise, além de uma ação do governo para promover a recuperação. A terceira reflexão, do professor José Carlos Braga, abordará este aspecto.

Já o professor Amaury Porto de Oliveira analisará a importância da capacitação tecnológica no processo. A Coréia do Sul vem desenvolvendo, desde a década de 60, uma série de recursos que viabilizariam sua integração no mercado globalizado. Não apenas recursos técnicos, máquinas e equipamentos, mas também recursos humanos, sendo este o grande diferencial coreano. Esforços tem sido feitos para instruir e capacitar sua população, o que aumentaria as vantagens do país em meio à competição global.

Mais uma vez o IEA pretende, com o evento, promover a discussão sobre aspectos da realidade internacional, promovendo estudos e reflexões. Publicará, então, um caderno contendo os textos apresentados na mesa redonda.

Leia também...
Agência Universitária de Notícias

ISSN 2359-5191

Universidade de São Paulo
Vice-Reitor: Vahan Agopyan
Escola de Comunicações e Artes
Departamento de Jornalismo e Editoração
Chefe Suplente: Ciro Marcondes Filho
Professores Responsáveis
Repórteres
Alunos do curso de Jornalismo da ECA/USP
Editora de Conteúdo
Web Designer
Contato: aun@usp.br