HOME II BIENAL CALENDÁRIO APRESENTAÇÕES TEXTOS PARCEIROS EXPEDIENTE CONTATO
Espetáculo:
BRAVÍSSIMO / FLOR DE OBSESSÃO / RAMADANÇA:
(Brasil)

A partir de crônicas de Nelson Rodrigues, Bravíssimo apresenta um texto transgressor que desdenha de valores éticos, burgueses, conservadores e nacionalistas, com características do Teatro Radical, teoria criada pelo ator e teatrólogo, e pitadas do humor satírico cearense.

Flor de Obsessão pretende demonstrar que o substancial da problemática de Nelson Rodrigues reflete a sua dilacerada convicção de que o Homem, impotente para promover em si mesmo a reversão de sua pusilanimidade existencial, está condenado à angustia e à neurose, sem possibilidade de redenção que não a morte. Daí a escolha de contos nos quais os personagens, em situações-limite, precisam matar ou matar-se para provar que amam.

Ramadança, neologismo que interrelaciona o período sagrado muçulmano e a dança, traça a genealogia dos líderes muçulmanos e cristãos, ao mesmo tempo em que, em tom de prece, faz exortações sobre a guerra e a paz, com alusões a Osama Bin Laden, Saddam Hussein e George Bush. A personagem em cena é uma Rainha do Maracatu que se apresenta como uma espécie –

de Medeia africana, mãe primordial detentora do poder de vida e morte em relação aos filhos.

Ricardo Guilherme Vieira dos Santos, mais conhecido como Ricardo Guilherme, é natural de Fortaleza, Ceará.

É ator, dramaturgo, diretor, contista, cronista, poeta, professor e jornalista, além de ter publicado livros sobre a história do teatro cearense. Como professor universitário, foi um dos signatários, em 2009, na criação do curso de artes cênicas da Universidade Federal do Ceará, e foi ainda seu primeiro vice-coordenador. Além disso, teve experiência de ensino em diversas universidades da Europa, da África, da América Central e do Norte.

Em seus mais de quarenta anos de atividade teatral, já participou de mais de cem espetáculos, com reconhecida trajetória nacional e internacional na qual figuram temporadas em diversos países da Europa, África e das Américas, além de ter recebido prêmios como o de dramaturgia da Unesco, em 1987.

Espetáculo BRAVÍSSIMO / FLOR DE OBSESSÃO / RAMADANÇA
País Brasil
Quando 09, 10 e 11 de DEZ 2015
Horário 21H30
Local SP Escola de Teatro - Sede Roosevelt
Endereço Pç. Roosevelt, 210 - Centro - 11 3775.8600
Duração 60 MIN - 80 MIN
Lotação 80 LUGARES
Classificação 14 ANOS

Textos Ramadança e Bravissimo Ricardo Guilherme; Flor de Obsessão Nelson Rodrigues Atuação e Direção Ricardo Guilherme Produtora Executiva Elisa Gonçalves de Alencar Assistente de Produção Suewellyn Cassimiro Sales

A partir de crónicas de Nelson Rodrigues, Bravíssimo desdeña de valores éticos/burgueses/ conservadores/nacionalistas, con características del teatro radical, teoría del teatrólogo/ actor, y toques de humor satírico cearense. Flor de Obsessão pretende demostrar que lo sustancial de la problemática de Nelson Rodrigues refleja la dilacerada convicción de que el Hombre, impotente para promover en si propio la reversión de su existencia pusilánime, está condenado a la angustia y a la neurosis, sin posibilidad de redención más que la de la muerte. Por eso, los personajes, en situación límite, necesitan matar o matarse para probar que aman. Ramadança, neologismo que interrelaciona el periodo sagrado musulmán y la danza, traza la genealogía de los líderes musulmanes y cristianos, al mismo tiempo en que, en tono de plegaria, hace exhortaciones sobre la guerra y la paz, con alusiones a Bin Laden, Saddam y Bush. El personaje principal se presenta como una especie de Medea africana, madre primordial detentora del poder de vida y muerte en relación a sus hijos.

Ricardo Guilherme es actor, dramaturgo, director, cuentista, cronista, poeta, periodista, además de autor de libros sobre la historia del teatro cearense. Nascido en Ceará, en sus más de 40 años de actividad teatral, participó en más de 100 espectáculos y recibió varios premios, entre eles, el de dramaturgia otorgado por la Unesco, en 1987.

From stories by Nelson Rodrigues, Bravissimo features a transgressive disdain of ethical/bourgeois/conservative/nationalist values, and has characteristics of the radical theater of the playwriter/actor and pinches of the satirical humor of Ceará. Flor de Obsessão argues that the focus of Nelson Rodrigues’ works reflects his own torn conviction that man, powerless to promote the reversal of his own existential pusillanimity, is condemned to feelings of anxiety and neurosis, without possibility of redemption, except for death. Hence the choice of short stories in which characters, in extreme situations, kill themselves or other in order to prove they are able to love. In Ramadança, a neologism that relates the Muslim holy period and dance, he traces the genealogy of Muslim and Christian leaders while, at the same time, in a prayerful tone, exhorts about war and peace, with allusions to bin Laden, Saddam and Bush. The character is a sort of African Medea, a primordial mother who holds the power of life and death over her children.

Ricardo Guilherme is an actor, playwright, director, poet, journalist, and author of books on the history of Ceará theater. Born in the Brazilian state of Ceará, after more than 40 years in the world of theater, he participated in more than a 100 plays and has received several awards, including the Unesco theater award, in 1987.

Baixe a Agenda ou o Catálogo completo da II Bienal
CALEN-
DÁRIO
22h
27 NOV
2015
Brasil
Espetáculo: Anatomia do Fauno
Sp Escola – Roosevelt
17h
28 NOV
2015
Brasil
Abertura da Bienal: Maria Arminda do Nascimento Arruda
TUSP - Teatro da USP
17h
28 NOV
2015
México
Conferência: Alberto Villarreal
TUSP - Teatro da USP
20h
28 NOV
2015
México
Espetáculo: O Rumor do Incêndio
TUSP - Teatro da USP
22h
28 NOV
2015
Brasil
Espetáculo: Anatomia do Fauno
Sp Escola – Roosevelt
20h
29 NOV
2015
México
Espetáculo: O Rumor do Incêndio
TUSP - Teatro da USP
CARREGAR MAIS
apoios /
parce-
rias /
agrade-
cimen-
tos

Agradecimentos Abílio Tavares, Abril Alzaga, Adriana Fragalle Moreira, Aline Rosa Lopes Santana Barros Dezio e equipe de compras Reitoria/USP, Beatriz Elena Paredes Rangel, Camila Rodrigues, Camilla de Carli, Carla Estefan, Cecílio de Souza, Celso Frateschi, Centro de Estudos Migratórios, Consulado Geral do México em São Paulo, Eduardo Alves, Elen Londero, Embaixada do México no Brasil, Flavio Desgranges, Flávio Pontes, Gabriel Salles, Giuliana Simões, Grupo Coordenador de Atividades de Cultura e Extensão Universitária do Campus de São Carlos, Guilherme Marques, Hamilton de Castro Teixeira Silva, Ileana Dieguez, Inerte, Ivam Cabral, Jean Carlo Cunha, João Marcos de Almeida Lopes, José Gerardo Traslosheros Hernández, Kil Abreu, Leticia Carvalho, Limão Rosa Café e Duilio Ferronato, Luis Carlos da Conceição, Mara Célia Ramos Teixeira, Marcelo Denny, Marcelo D’Avilla, Maria Arminda do Nascimento Arruda, Maria Fernanda Vomero, Mario Espinosa, Missão Paz, Movimento dos Teatros Independentes de São Paulo, Oscar Soberane Benítez, Pe. Antenor Dalla Vecchia, Pe. Paolo Parisi, Pedro Granato, Ricardo Pettine, Sandra Cristina Campos, Sesc Santos, Socorro Barbosa, Sonia Gra etti, Sonia Sobral, SP Escola de Teatro, Stenio Ramos, Sylvia Caiuby Novaes, Sylvia Moreira, Tuca Capelossi, Valdecir Gouvea, Valdir Previde, Vicente Mattos e Valmir Santos.