NO ‘DIVERSIDADE EM CIÊNCIA’ (RÁDIO USP), CLEBER TOLINI, ATOR COM BAIXA VISÃO, CRIA E PROTAGONIZA MONÓLOGO SOBRE DEFICIÊNCIA VISUAL E CONSOLIDA O TEATRO DA INCLUSÃO

[A entrevista vai ao ar na segunda-feira, dia 21 de outubro, às 13 horas sendo reapresentada na terça-feira, dia 22, às 2 horas da manhã e no sábado, dia 26, às 14 horas, na Rádio USP]

No ‘Diversidade em Ciência’, Ricardo Alexino Ferreira entrevista o ator Cleber Tolini, autor do monólogo “O subnormal: uma história da baixa visão”. A peça trata da história real de Tolini que, aos 24 anos, descobre estar com um tumor no cérebro. Na retirada do tumor ele tem o seu nervo ótico afetado e fica com baixa visão.

Com o monólogo, Tolini, hoje com 39 anos, consolida o gênero “teatro da inclusão”, considerando que ele é um dos poucos atores no país com baixa visão atuando na profissão e trazendo essa temática para o teatro. Dessa forma, Tolini tem levado ao teatro o público vidente e, também, pessoas cegas, com deficiência visual ou com baixa visão. A peça tem direção geral de Djalma Lima e direção de movimento de Lena Roque.

“O subnormal: uma história da baixa visão” venceu o 1º Festival de Teatro de Mairiporã com melhor direção e foi premiado, ainda, como melhor espetáculo do Júri Popular. Em abril deste ano, a peça foi apresentada no Festival Internacional de Monólogos Dom Ivan Garcia Guerra, no Bronx, em Nova York, nos Estados Unidos.

O termo baixa visão é também conhecido como visão subnormal, quando muitas dessas pessoas têm visão abaixo de 20% nos dois olhos, mas possuem alguma funcionalidade preservada, porém, sem possibilidade de correção com lentes ou cirurgias. Já na cegueira, a acuidade visual é menor que 0,05%.

Tolini também promove o projeto “Bengala Verde”, da professora argentina Perla Mayo, que é voltado para a identificação das pessoas com baixa visão através da cor verde da bengala, as diferenciando das pessoas cegas, que usam bengalas brancas.

O objetivo do projeto “Bengala Verde” é evitar que pessoas com baixa visão, que usam bengalas, sofram constrangimentos ao serem consideradas farsantes pelos videntes, pois apesar da grande dificuldade de visão, muitos ainda conseguem ler livros ou textos adaptados, mesmo com deficiência acentuada.

Durante a entrevista, Cleber Tolini irá falar sobre a questão da saúde e da ciência na abordagem da deficiência social e da cegueira; sobre as políticas de inclusão e a cultura como instrumento de transformação.

Além da peça “O subnormal: uma história da baixa visão”, Cleber Tolini está em cartaz com outras duas peças “Este corpo que não te pertence”, com direção de Djalma Lima e “O menino e a cerejeira”, com direção de Stella Tobar.

O ‘Diversidade em Ciência’ é um programa de divulgação científica, voltado para as ciências das diversidades e direitos humanos e vai ao ar toda segunda-feira, às 13 horas, com reapresentações às terças-feiras, às duas horas da manhã e aos sábados, às 14 horas, com direção e apresentação do jornalista, professor da USP e membro da Comissão de Direitos Humanos, Ricardo Alexino Ferreira e edição de áudio de João Carlos Megale.

O ‘Diversidade em Ciência’ é gravado no estúdio do Departamento de Comunicações e Artes/Educomunicação, da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP).

A Rádio USP-FM pode ser sintonizada em 93,7 MHz/SP ou pelo link: http://jornal.usp.br/radio

Texto e foto: Ricardo Alexino Ferreira