Normas de TCC-CJE

Normas para o “Trabalho de Conclusão de Curso” no CJE

Normas para o “Trabalho de Conclusão de Curso” junto às disciplinas CJE0314 – Projeto Experimental em Produção Editorial e CJE0411 – Projeto Experimental em Jornalismo. Criado através da Portaria interna CJE 001/2013, alterado pela portaria CJE003/2015 e ofícios CJE 52/2016 (04/05/2016) e 56/2016 (18/08/2016).

O CONSELHO DO DEPARTAMENTO DE JORNALISMO E EDITORAÇÃO DA ESCOLA DE COMUNICAÇÕES E ARTES DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO, usando de suas atribuições legais e tendo em vista o decidido em sua 5ª Reunião Ordinária, e conforme estabelecido na 9ª reunião ordinária da CoC-CJE, realizada em 1º de novembro de 2013, resolve:

Artigo 1º – O Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) é considerado, sob todos os aspectos, uma atividade obrigatória aos graduandos do CJE, que se realiza mediante as disciplinas CJE0314 (Projeto Experimental em Editoração) e CJE0411 (Projeto Experimental em Jornalismo). A elaboração e a defesa pública do TCC constituem requisitos indispensáveis à graduação nos cursos mantidos pelo CJE. Seu regulamento é de responsabilidade da CoC departamental.

Artigo 2º – A elaboração do TCC objetiva o desenvolvimento e aprimoramento da formação universitária e da capacitação profissional dos graduandos, por meio da aplicação e integração de conhecimento teórico e/ou prático desenvolvido nas diversas disciplinas que compõem a estrutura curricular de cada curso.

Artigo 3º – O TCC consiste na elaboração de uma monografia aprofundada, compatível com a graduação acadêmica, sobre tema claramente vinculado ao conteúdo do curso do aluno.

Artigo 4º – O TCC pode também consistir em projetos ou produtos, jornalísticos ou editoriais, acompanhados de uma monografia que descreva o trabalho e explicite os passos metodológicos adotados.

§1º – Os projetos ou produtos poderão assumir as seguintes modalidades:

a. ensaio fotográfico;

b. ensaio fonográfico;

c. projeto de jornal, revista, livro ou outro produto editorial, quer em suporte impresso, quer em outro suporte;

d. análise crítica de um jornal, revista, livro ou outro produto editorial existente no mercado de bens culturais, quer em suporte impresso, quer em outro suporte;

e. programa de rádio, televisão ou vídeo;

f. produto jornalístico ou editorial.

§2º – Os projetos ou produtos podem contar com a colaboração de terceiros, conforme as exigências e a natureza do trabalho, desde que devidamente creditada.

§3º – Exige-se que a monografia e a defesa sejam individuais.

§4º – A monografia, acompanhada ou não de projeto ou produto, deve ser entregue à Secretaria do CJE, no prazo estipulado pelo calendário departamental, em 03 (três) vias impressas e em 02 (duas) vias gravadas em CD ou DVD. As três primeiras serão encaminhadas aos membros da banca examinadora; as outras duas, para o arquivo do CJE e para a Biblioteca da ECA.

§5º – No caso de projetos ou produtos que se apresentem em suporte impresso ou em outro suporte, cinco cópias deverão acompanhar a monografia: três destinadas aos membros da Banca, uma ao arquivo do CJE e outra ao acervo da Biblioteca da ECA.

Artigo 5º – Uma vez concluídos, os trabalhos serão apresentados, por escrito e oralmente, às bancas examinadoras incumbidas de sua avaliação, observando-se os prazos estabelecidos no calendário escolar do CJE.

Artigo 6º – A apresentação do trabalho será feita publicamente, em duas etapas, a saber:

a. exposição e/ou mostra do trabalho, acompanhada ou não de recursos auxiliares, em, no máximo, 30 (trinta) minutos.

b. arguição da banca ao aluno, concedendo-se a cada examinador um período máximo de 30 (trinta) minutos, tendo o aluno igual tempo para resposta.

Artigo 7º – Cada trabalho será examinado e avaliado por uma banca composta pelo professor-orientador e por dois outros componentes escolhidos entre os professores do CJE, de outros departamentos da ECA, outras unidades da USP e especialistas vinculados a outras instituições, inclusive pessoas de notório saber. Ao menos um membro da banca deverá ser professor do CJE.

§1º – O professor-orientador, presidirá os trabalhos da banca examinadora;

§2º – Serão indicados dois suplentes para a composição da banca;

§3º – As bancas examinadoras deverão receber os trabalhos com prazo mínimo de 10 (dez) dias antes de sua apresentação;

§4º – Os trabalhos entregues na Secretaria deverão ter data, horário, local e banca confirmada.

Artigo 8º – Cada trabalho de conclusão de curso será avaliado, na sua apresentação, de acordo com os seguintes aspectos:

§1º – no tocante à monografia:

a. importância e adequação do objeto ao campo de estudo do curso em que o aluno se gradua;

b. fundamentação ou apoio aos argumentos utilizados no trabalho, incluindo as fontes bibliográficas;

c. desenvolvimento do trabalho, compreendendo a sua evolução desde o tema até os resultados alcançados, a metodologia utilizada, a pertinência e consciência na argumentação e o nível de maturidade escolar e profissional;

d. redação, observando-se a capacidade de expressão pela escrita, a correção gramatical, o nível de concisão e adequação da linguagem à natureza do trabalho;

e. apresentação oral e material, de acordo com os termos do Artigo 3º desta Resolução.

§2º – No tocante aos projetos e/ou produtos:

a. qualidade técnica;

b. criatividade;

c. originalidade;

d. domínio de linguagem do veículo ou do produto;

e. uso adequado do tempo e do espaço, conforme o produto proposto.
f. apresentação oral e material, de acordo com os termos do Artigo 4º desta
Resolução.
Artigo 9º – A nota final do TCC será dada pela média aritmética das notas atribuídas pelos três membros da banca.

§1º – Será atribuída a nota final zero ao aluno que deixar de entregar seu trabalho em tempo hábil.

§2º – Ao aluno que deixar de comparecer à exposição ou mostra de seu trabalho, será atribuída a nota zero na avaliação correspondente a essa apresentação.

Artigo 10º – A banca examinadora poderá, de acordo com seu julgamento, emitir um parecer sobre o trabalho que examinou e encaminhá-lo, juntamente com o resultado de sua avaliação, à Secretaria departamental.

Artigo 11º – A aprovação será concedida mediante a média mínima 5 (cinco) atribuída ao TCC pela banca, numa escala de 0 (zero) a 10 (dez).

Artigo 12º – O aluno reprovado na apresentação do TCC poderá apresentar o seu trabalho no semestre subsequente.

Artigo 13º – Cada TCC será desenvolvido sob a orientação de um professor do CJE.

§1º – Cada professor-orientador do CJE só poderá aceitar a inscrição de, no máximo, 5 (cinco) alunos por semestre letivo.

§2º – A Co-orientação por professores de outros departamentos da ECA ou de outras unidades da USP será possível desde que deferida pela CoCCJE uma solicitação do aluno, devidamente justificada, em que o professor externo ao departamento aceite por escrito o orientando.

§3º – A indicação do professor-orientador deverá ser precedida de uma consulta informal do aluno ao docente.

§4º – No máximo, 30 (trinta) dias antes da matrícula no TCC, o aluno deverá entregar à Secretaria do CJE um formulário (fornecido pela mesma Secretaria) preenchido, que discrimine o tema, descreva sumariamente o projeto de TCC e registre o “de acordo” do orientador.

§5º – A matrícula do aluno no TCC só será considerada válida mediante a formalidade exposta no §4º deste Artigo, em que figure a expressa aquiescência do orientador.

§6º – O professor-orientador acompanhará o aluno ao longo do desenvolvimento do trabalho.

§7º – Ao aluno é facultada a mudança de professor-orientador, desde que encaminhada solicitação formal à CoC departamental, com a devida justificativa e a manifestação favorável do orientador original e do orientador pretendido.

Deferida a solicitação pela CoC, a mudança poderá ser realizada no período de retificação de matrícula determinado pelo calendário acadêmico da ECA.

§6º – Ao professor-orientador é facultada a interrupção da orientação, desde que encaminhe solicitação à CoC departamental, com a devida justificativa. A decisão caberá à CoC departamental.

Artigo 14º – Não serão admitidas matrículas de alunos sem que todos os créditos de disciplinas obrigatórias tenham sido cumpridos.

Artigo 15º – Uma disciplina optativa, no máximo, poderá ser cursada simultaneamente ao TCC, quando isso for necessário à integralização dos créditos exigidos para a graduação.

Artigo 16º – O aluno elaborará uma proposta de trabalho, que será submetida à aprovação do professor-orientador, explícita em formulário de inscrição do TCC, encaminhado à Secretaria departamental antes da matrícula.

§1º A Secretaria do Departamento só aceitará o trabalho para defesa se o professor-orientador manifestar sua aquiescência por escrito.

Artigo 17º – Compete à Comissão de Coordenação de Cursos do CJE (CoC-CJE):

I – cumprir e fazer cumprir, no que lhe compete, esta Resolução;

II – divulgar as disposições desta Resolução, esclarecendo o corpo docente e o corpo discente sobre a forma de sua execução;

III – estabelecer a data de entrega dos trabalhos;

Artigo 18º – Os casos omissos e situações excepcionais, incluindo solicitações de matrículas sem o cumprimento integral das determinações previstas nos artigos 14º e 15º desta Resolução, serão resolvidos pela Comissão Coordenadora de Cursos (CoC) do Departamento de Jornalismo e Editoração (CJE);

Artigo 19º – A presente Resolução entrará em vigor nesta data.