logotipo do Claro!

Mente sai, corpo fica

Por Nairim Bernardo

Você já teve aquela sensação de que o seu sonho parecia muito real ou mesmo que você estava acordado dentro dele? Pois bem, pode ser que não seja coisa da sua cabeça. Ou melhor, pode ter acontecido algo muito além da sua cabeça. O que alguns pensam ser sonho, outros acreditam que seja projeção astral.

 

Funciona assim: quando dormimos, nossa mente deixa de se manifestar no corpo físico e passa a se manifestar em um plano não material. Caso você esteja inconsciente nesse plano imaterial, irá ter devaneios, fantasias e pensamentos da mente física, ou seja, sonhos. Já se estiver consciente, será como se estivesse acordado no plano material, poderá fazer o que quiser, ir para onde quiser e encontrar pessoas (vivas ou não). As possibilidades são infinitas. Mas se você ainda não conseguiu atingir uma boa consciência e lucidez sobre essas questões, uma experiência astral não muito forte irá te parecer apenas um sonho mais nítido do que outros.

 

As explicações e usos para esse fenômeno variam. O Instituto Internacional de Projeciologia e Conscienciologia oferece um curso com material didático, carga horária de 50 horas, aulas teóricas e práticas para quem quer investir na autopesquisa e no desenvolvimento pessoal. Mas, segundo Morgana Pereira, bruxa e astróloga, “A projeção astral faz parte do trabalho mágico no que diz respeito a manipulação de energia. Pode ser para o bem ou mal dependendo de quem e como faz”. Já Roberto Pineda é administrador, tem 64 anos, faz projeções desde bebê e em 2010 criou um blog para esclarecer dúvidas e relatar suas experiências. Para ele, não há nada de espiritual nisso, “As projeções nos proporcionam conhecimento próprio, nos libertando de condicionamentos, formatos, medos e crendices”, defende.

 

Se toda essa viagem te deixou confuso, é hora de acordar. Mas como voltar do astral? Segundo Roberto, “Basta se concentrar no corpo físico. Além disso, é normal querer continuar lá,mas ser trazido de volta por algum incômodo físico ou por uma emoção mais forte no ambiente astral”. É raro, mas também podem ocorrer dificuldades no retorno. Caso a pessoa acorde e sua consciência ainda se manifeste parcialmente no corpo material, não conseguirá reativar totalmente o corpo físico, ficando paralisada.

 

O que alguns chamam de “catalepsia projetiva”, a ciência nomeia de “paralisia do sono”. Os sentidos despertam durante o REM- fase mais profunda do sono, onde ocorrem os sonhos – mas os músculos não respondem. A pessoa fica paralisada, sem conseguir abrir os olhos, mas com a sensação de que está vendo o que acontece ao redor. Segundo a literatura médica, é normal ter alucinações durante esses episódios. Se você já teve isso, saiba que não está só. Pesquisas de 2011 da Universidade da Pensilvânia indicam que 8% da população mundial, 28% dos estudantes e 32% dos pacientes psiquiátricos já tiveram pelo menos um episódio de paralisia do sono.

 

Dependendo da explicação que mais convença, a hora de dormir pode ser apenas um momento de descanso ou a plataforma de embarque para uma grande viagem. Em caso de emergência, é recomendável procurar um especialista (seja ele uma bruxa ou um neurocientista).

 

Laura CMYK 30 30 50

Por Nairim Bernardo

O suplemento Claro! é produzido pelos alunos do 3º ano de graduação em Jornalismo, como parte da disciplina Laboratório de Jornalismo Impresso III.

Tiragem impressa: 8.000 exemplares

Expediente

Contato

Av. Prof. Lúcio Martins Rodrigues, 443, Bloco A.

Cidade Universitária, São Paulo - SP CEP: 05508-900

Telefone: (11) 3091-4211

clarousp@gmail.com