Um conhecedor da bocha

Bocha no Itaim: um achado em São Paulo

Larissa Daroque

 

A bocha é um jogo que pode ser jogado de forma individual ou com equipe de 2,3 ou 4 elementos. Cada equipe tem 4 bolas para lançar durante a partida e tem o objetivo de ficar mais próximo de outra bola menor, de metal, o bolim. Com origem Império Romano, foi difundida com a expansão e conquista de outros povos, tornando-se popular principalmente na Itália. O esporte ainda permanece no imaginário da população mais velha, mas essa é uma realidade que é cada vez mais distante, já que sua popularidade entre os mais novos está crescendo.

Prova disso é o crescente interesse no clube de bocha localizado no centro do Itaim Bibi, em São Paulo. A rua Virgílio Várzea é sede da Sociedade Esportiva de São Cristóvão, no passado detentora de um prestigioso time de futebol de várzea. Na sede, durante anos aconteciam encontros não só aos associados, mas a toda comunidade do Itaim, desde campeonatos à encontros sociais.

Hoje, a construção permanece sob direção do Presidente da Associação, Albertino Bergman, “seu Zito”. A quadra foi transformada em galpão para um colégio particular da região, enquanto a sede serve de espaço para uma costureira, um restaurante e uma ótica, cujo próprio Zito é responsável. Do restaurante, que serve almoços durante a semana, é possível ver as pistas de bocha no subsolo, despertando a curiosidade dos comensais. Aos 88 anos, Albertino foi presidente nos últimos quarenta, sendo ocupado pela organização e manutenção do espaço, junto com seu filho.

BJE: Blog de Jornalismo Esportivo: Como foi seu primeiro contato com a bocha?

– Albertino Bergmann: aos 55 anos, meu joelho não aguentava mais jogar futebol. Não conseguia mais forçar. Aí comecei com a bocha, que é mais leve, e me apaixonei. Jogava todos os dias aqui (na Associação).

BJE: Blog de Jornalismo Esportivo: Qual o fator que mais interessou sobre esse esporte?

– Albertino Bergmann: Foi tudo no final. A facilidade de qualquer um jogar, até eu com meu joelho, a concentração e delicadeza que se deve ter ao lançar a bola. As vezes ela vai pra um lado que você não esperava e muda toda a forma com que você vai continuar o jogo.

BJE: Blog de Jornalismo Esportivo: O senhor chegou a jogar em algum campeonato? Tem algum programado para acontecer?

– Albertino Bergmann: Eu joguei muito, muito mesmo em vários campeonatos. Nada grande assim, mas com mais de 10 times pelo menos. Era uma época muito boa, mas as pessoas eram as mesmas né, e aí foi acabando. Mas agora temos alguns jogadores novos, acho que depois que consertarmos a pista e tudo vamos ter sim um campeonato.

 

BJE: Blog de Jornalismo Esportivo: O senhor acha que o interesse pelo esporte tem aumentado nos últimos anos? Qual uma dica que o senhor tem para os que pretendem praticar?

– Albertino Bergmann: Olha, aqui nós temos jogadores as quintas feiras que vem treinar na nossa pista. Domingo também vem gente aqui também para treinar. No restaurante às vezes perguntam se pode jogar, como faz para jogar. Mas pessoas que têm mais interesse assim são poucas, são poucas as pessoas que jogam. Na quinta feira tem um pessoal que trabalha por aqui que vem jogar, aí arrumamos tudo e eles vem, ficam aí. Se você quiser jogar, tem que ter um time né, aí você pode vir aqui e posso explicar todas as coisas, mostrar a pista, dar umas dicas. O mais importante é ter alguém que sabe te acompanhando e ensinando, porque para aprender sozinho demora mais tempo e às vezes não fica muito bom.

 

E-mail para contato: larissa.daroque@usp.br