Edição 2020 dos Jogos Abertos do Interior desafia COVID-19 para não ser “Jogos Fechados”

Diferentemente de outras eventos esportivos, incluindo Jogos Olímpicos, a maior competição da América Latina não cogita cancelar sua realização – pelo menos por enquanto

Por Gustavo Araujo Longo

Mesa-tenista da Associação Nova Era, de Bauru, Claudio Massad planejava uma temporada esportiva cheia em 2020. Além da Seletiva Paralímpica na Eslovênia, em maio, ele já tinha agendado, entre outras disputas, os Jogos Abertos do Interior, considerada a maior competição da América Latina – e que reúne a elite nacional de sua modalidade.

O surto de COVID-19 interrompeu não apenas a sua programação, mas o calendário esportivo como um todo. Desde que a Organização Mundial da Saúde (OMS) decretou pandemia em 11 de março, diversas competições foram suspensas ou canceladas, incluindo os Jogos Olímpicos e Paralímpicos que seriam realizados em Tóquio no mês de julho – agora, serão em 2021.

“Não foi passado aos atletas nenhuma informação sobre os Jogos Abertos e tampouco há previsão de quando poderemos retomar as atividades e treinamentos. No tênis de mesa, as competições no Brasil e no mundo estão suspensas até o fim de junho, pelo menos”, explica.

Mesa-tenista de Bauru e da seleção brasileira paralímpica, Claudio Massad ainda não tem definição de seu calendário esportivo em 2020 – Crédito: Divulgação/Site Oficial

Entretanto, se depender do Governo de São Paulo, Claudio Massad e os mais de 10 mil atletas que participam anualmente em cerca de 30 modalidades diferentes podem manter os Jogos Regionais (que funciona como etapa classificatória) e os Jogos Abertos do Interior em seu cronograma de atividades em 2020.

A Secretaria de Esportes, responsável pela regulamentação das duas competições, confirmou que pretende realizá-las ainda neste ano, ainda que em datas diferentes das idealizadas anteriormente. Os Jogos Regionais acontecem ao longo do mês de julho, enquanto que os Jogos Abertos estão programados para o período entre 9 e 21 de outubro, em Sorocaba.

“Inicialmente, a Secretaria planeja realizar, ainda que com alterações no formato e em datas, os Jogos Regionais e os Jogos Abertos Horário Baby Barioni”, afirma Aildo Rodrigues Ferreira, secretário de esportes de São Paulo, com exclusividade ao Alterjor. “A competição só será cancelada em caso de orientação da Secretaria da Saúde neste sentido”, complementa.

É uma atitude que difere de outras adotadas pela pasta após o início da pandemia. Em 16 de março, com a determinação da quarentena pelo Governo Estadual, a Secretaria suspendeu o seu calendário esportivo e determinou o cancelamento dos Jogos da Melhor Idade e dos Jogos Abertos da Juventude.

Responsável pela organização do evento em 2020, Sorocaba aguarda confirmação do Estado para adotar medidas relacionadas aos Jogos Abertos do Interior. Em contato por telefone, a Secretaria de Esporte e Lazer do município confirmou que é competência do governo estadual tomar qualquer providência sobre um possível adiamento.

As orientações podem mudar a partir de 8 de maio, com um pronunciamento do governador João Dória (PSDB) em que ele pode flexibilizar, ou não, a quarentena em São Paulo. Somente após as recomendações do Centro de Contingência do Coronavírus é que a Secretaria vai definir mudanças em seu calendário para realizar os eventos suspensos, principalmente os Jogos Regionais e Abertos.

Uma alternativa pontuada pela Secretaria de Esportes prevê a realização dos Jogos Regionais de forma distribuída em diversas cidades em cada uma das oito regiões esportivas – evitando aglomerações e dispensando os alojamentos montados em escolas estaduais. Outra opção também discutida é realizar os Regionais aos fins de semana em setembro com os Jogos Abertos do Interior em dezembro, no período de férias escolares.

“Todas as possibilidades necessitam de liberação do Governo do Estado de São Paulo, que ainda não conta com uma data definida para competições esportivas que necessitem de alojamento”, pontua o secretário de esportes.

Tricampeã, São José dos Campos monitora situação dos Jogos Abertos do Interior

Mais de 200 cidades disputam anualmente os Jogos Abertos do Interior. As indefinições da edição deste ano são acompanhadas por diversas delegações, mas uma em especial tem grande interesse no assunto: São José dos Campos. O município do Vale do Paraíba é a atual tricampeã da competição (2017, 2018 e 2019) e uma de suas principais incentivadoras.

Como em outras localidades, a prefeitura teve que readequar sua rotina esportiva, paralisando todos os treinamentos da base até o alto rendimento. Contudo, monitora as recomendações e anúncios da Secretaria Estadual de Esporte para retomar sua operação e, assim, garantir que seus atletas possam treinar e competir nas melhores condições possíveis.

“Estamos diariamente em contato com a coordenação da Secretaria de Esportes do Estado através dos meios de mídia, Diário Oficial e telefonemas para que, caso haja algum comunicado oficial sobre o retorno dos eventos esportivos, estejamos prontos para retomar nosso trabalho de logística, preparação, organização e participação nestas competições”, comenta Marco Olivatto, diretor de esportes de alto rendimento da Prefeitura de São José dos Campos.

Com vitória no vôlei, São José dos Campos foi tricampeã dos Jogos Abertos em 2019 – Crédito: Divulgação/Jogos Abertos 2019

A cidade tornou-se referência nos Jogos Abertos do Interior pelo trabalho de unir jovens e adultos em suas equipes. Nos últimos anos, a prefeitura passou a valorizar atletas da base em todas as modalidades, colocando-os como representantes nos eventos esportivos realizados pelo Governo de São Paulo. Além disso, possui uma Lei de Incentivo Fiscal municipal para financiar diversos projetos esportivos.

“A participação de nossos atletas e equipes em competições como os Jogos Abertos é de extrema importância como fator de amadurecimento e crescimento técnico. Nestes eventos se encontram grandes competidores e são verdadeiros espelhos para futuros atletas de ponta”, complementa Olivatto.

Edições dos Jogos Abertos do Interior desafiaram crises

A preocupação em organizar o evento mesmo com pandemia de COVID-19 tem uma explicação histórica. Desde sua criação em 1936, por intermédio de Horácio Baby Barioni, os Jogos Abertos do Interior não foram realizados apenas uma vez. São 83 edições realizadas nos últimos 84 anos.

A única exceção foi em 1989, graças a uma greve dos professores da rede estadual de ensino durou 82 dias – até então a maior já realizada pela categoria. Isso fez com que as aulas precisassem ser respostas em dias não letivos, como sábados e feriados, e sem qualquer pausa até o fim do ano. Sem as escolas que serviriam de alojamentos aos atletas, o Governo Estadual decretou o cancelamento da competição.

Foi uma decisão sem precedentes. Nem mesmo a Segunda Guerra Mundial, entre 1939 e 1945, o agravamento de crises econômicas e políticas e uma epidemia de meningite em São Paulo no início da década de 1970 impediram a realização dos Jogos Abertos. Tampouco a greve dos professores de 2015 (que durou 89 dias e se tornou na maior já realizada pela classe) cogitou o cancelamento da competição

Gustavo de Araujo Longo é jornalista especializado em cobertura esportiva e Mestrando no Programa de Pós-graduação em Ciências da Comunicação na ECA/USP

* reportagem veiculada inicialmente na seção “Coronavírus: causos e consequências”, no site do Alterjor – Jornalismo Popular e Alternativo