CBDU: programas e projetos para ajudar a dupla carreira de estudantes atletas

Por Edwaldo Costa

“Os poetas haviam composto suas odes para saudar atletas vencedores”[1], escreveu o poeta mineiro Carlos Drummond de Andrade celebrando aos atletas. Nesses versos se esconde um importante traço da cultura brasileira: a paixão pelos esportes. Na universidade isso não é diferente, jovens de diversos cursos superiores são também formados para serem atletas de alta performance.

Fundada em 1939 por acadêmicos, a CBDU – Confederação Brasileira do Desporto Universitário é a entidade responsável pela administração do desporto universitário no Brasil. Reunindo a participação das FUES – Federações Universitárias Estaduais de desporto universitário. É a responsável por cuidar da gestão e da organização das competições e eventos esportivos oficiais entre estudantes de nível de graduação e pós-graduação de todo o país. Qualquer IES – Instituição de Ensino Superior reconhecida pelo MEC – Ministério da Educação pode disputar eventos organizados pela CBDU.

“- Basta que seja filiada ou vinculada à respectiva Federação Universitária (FUEs) do estado onde funciona”, afirma Luciano Cabral, presidente da CBDU.

Em seu terceiro mandato, Luciano Cabral destaca que a gestão profissional realizada atualmente é um diferencial importante e resultado de um período de difícil transição, que voltou a movimentar a instituição, colocando-a novamente em evidência no cenário do esporte nacional. Como referência para o desporto, a CBDU se preocupa em inspirar e desenvolver as potencialidades dos universitários para formar novos líderes através das vivências proporcionadas pela experiência no mundo do esporte.

Nomes de destaque do esporte brasileiro como: Bernardinho, Daniele Hypolito, Daiane dos Santos, Fernando Scherer, Joanna Maranhão, Tiago Camilo, Maurren Maggi, Arthur Nori, Arthur Zanetti e tantos outros competiram como universitários. Demonstrando a importância da CBDU para a formação do atleta de alto rendimento para o esporte nacional. Luciano Cabral, ainda reforça que:

“- Muitos dos destaques do esporte brasileiro passaram pela CBDU, é uma lista imensa que eu nem ousaria mensurar aqui. Só para você ter uma ideia, 53% das medalhas que o Brasil conquistou nos jogos olímpicos do Rio passaram pela CBDU naquele ciclo.”

Com uma meta de melhoria contínua a CBDU tem investido e se destacado nas redes sociais e plataformas de streaming, criando um diálogo mais próximo com os estudantes, proporcionando que eles conheçam e participem das competições nacionais e internacionais.

Segundo Luciano Cabral por conta da Covid-19 foi preciso cancelar o calendário de 2020. “A partir do impedimento de realizar eventos presenciais, fomos em busca de movimentar o esporte universitário através da internet. Realizamos dezenas de lives, seminários, workshop, desafios e campanhas. Além disso, pegamos dois projetos que já existiam e colocamos em destaque na nossa plataforma, são eles: a Universidade CBDU, uma plataforma de aprendizagem virtual, com diversos cursos educacionais relacionados ao esporte, e os eSports, que nós já realizamos há 5 anos de forma presencial e, com a pandemia, levamos para o modo online; foram dois sucessos absolutos”, conta Luciano.

O calendário esportivo de 2021 da CBDU está pronto e já foi entregue para as 27 Federações Universitárias Estaduais, mas a Covid-19 permanece sendo um risco para realização de qualquer evento presencial no Brasil e no mundo, é preciso aguardar e obedecer as orientações dos governos e órgãos de controle. Neste ano as competições previstas são: JUBs eSports – 06 eSportes;  LOL, FIFA, Clash Royale, Poker, CS GO, Free fire;  JUBs  PRAIA – 08 esportes; Beach soccer, Beach hand, Futevôlei, Beach tênis, Beach wrestling, Vôlei de praia, Air Badminton, Basquete 3 x 3; JUBs Seletiva Panamericano – FUT 7, Futebol e Rugby; JUBs Atléticas – 12 esportes; Atletismo, Basquetebol, Bateria, Cabo de Guerra, Cheerleading, Cross fit, Escalada, Futsal, Handebol, Jiu-jitsu, Natação e Voleibol; JOGOS UNIVERSITÁRIOS BRASILEIROS/JUBS 2021- JUBs – 15 esportes;  Acadêmico, Atletismo, Badminton, Basquetebol, Futsal, Handebol, Judô, Karatê, Luta olímpica, Natação, Taekwondo, Tênis, Tênis de mesa, Voleibol e Xadrez.

O estudante atleta enfrenta uma dupla trajetória, a da vida acadêmica e formação educacional e a dos treinos e competições, a CBDU possui programas e projetos que visam auxiliá-lo para que ele se destaque em ambos, bem como para que possuam um planejamento para o pós carreira. O presidente da CBDU ainda ressalta que:

“- Esse é uma dos pilares fundamentais do esporte universitário no Brasil (CBDU) e no mundo (FISU).”

Alguns atletas são exemplos disso:

“- O Nori (Arthur Nori) é mais um dos destaques da ginástica brasileira que tem uma história forte com o esporte universitário. Ele, o Zanetti (Arthur Zanetti), o Chico (Francisco Barretto Júnior), a Daiane (Daiane dos Santos), entre outros, fazem parte de uma plataforma que tem a CBG – Confederação Brasileira de Ginástica em conjunto com a CBDU para desenvolver os atletas da ginástica do Brasil. Vale destacar aqui o papel do Marcos Gotto, técnico e coordenador técnico da ginástica brasileira e que coloca a formação educacional dos atletas como prioridade, isso tem surtido um efeito extremamente positivo e uma cultura na ginástica na qual os atletas de alto rendimento têm compromisso também com sua formação educacional.”

Hoje a CBDU trabalha para prestigiar a formação educacional dos atletas no Brasil.

“- Na verdade, temos um grande problema cultural em nosso país: muitas pessoas e grande parte da mídia não destacam e não valorizam a formação educacional de nossos ídolos do esporte, eles até têm a formação, mas isso nunca é mencionado e tratado com o devido valor.”, afirma Luciano Cabral.

Para que esse cenário seja transformado a CBDU tem difundido sua atuação para que mais atletas universitários, que ainda não conhecem a confederação, possam se integrar e ter a oportunidade de receber o aporte necessário para seu sucesso nas competições, podendo quem sabe chegar a representar o Brasil em mundiais e olimpíadas.

Todas as competições da CBDU servem para observar e pré selecionar atletas e equipes universitárias para os eventos internacionais, jogos universitários sul americanos, pan-americanos e mundiais. Os Jogos Universitários Mundiais, antiga Universíade, é o segundo maior evento esportivo do mundo, não apenas em quantidade, mas também em excelência técnica; ser campeão em uma edição de um Jogos Universitários Mundiais, significa fazer parte de um seleto grupo dos melhores atletas naquela modalidade no mundo.

A CBDU ainda tem parceria com o COB e com quase todas as confederações no Brasil, servindo de plataforma para desenvolvimento dos atletas no âmbito técnico esportivo e também acadêmico.


[1] ANDRADE, Carlos Drummond de. Quando é dia de futebol. São Paulo: Companhia das Letras, 2014.

Edwaldo Costa possui pós-doutorado pela ECA-USP e atualmente é jornalista do Centro de Comunicação Social da Marinha do Brasil