Apresentação

   Os museus da Universidade de São Paulo reúnem em seus acervos um importante patrimônio histórico e cultural com diferentes coleções de obras artísticas, objetos, documentos iconográficos e textuais, nacionais e internacionais, de grande valor cultural e etnológico. Essas obras são constituídas de materiais diversos, o que acarreta uma problemática para a sua conservação. Deste modo, os museus buscam recursos técnico-científicos para a melhor caracterização, identificação e conservação de seus acervos.    
    A necessidade de um estudo sistemático dos acervos para auxiliar as áreas de conservação destes acervos e entender esses materiais e suas modificações ao longo do tempo fez com que houvesse um estreitamento da colaboração entre pesquisadores das ciências exatas, conservadores, restauradores, curadores e historiadores da arte e isso tem sido de grande importância para a pesquisa científica nos diferentes museus do mundo.     

    Na Europa e nos Estados Unidos, estudos sistemáticos utilizando técnicas cientificas em obras de arte são realizados frequentemente há algumas décadas. No Brasil, alguns trabalhos científicos neste tema só começaram a surgir no final da década de 90.
    Um estudo sistemático e metódico em uma obra de arte, documento textual, ou objeto nos ajuda a compreender os materiais e técnicas empregadas na sua produção e o que aconteceu com ele(s) ao longo do tempo. As informações obtidas através das análises científicas são interpretadas, concomitantemente, com o conhecimento da sua trajetória, permitindo, assim, situar o “objeto” no contexto de sua própria época e compreendê-lo, hoje, na sua dimensão material.    
    Por fim, este projeto pretende formalizar e tornar sistemática a colaboração, que já vem acontecendo, entre os diferentes museus e institutos, para a identificação e o estudo de materiais de pintura sobre tela, fotografias, impressos, documentos manuscritos e objetos de cerâmica.   

 

Site atualizado pela última vez em: 12/08/2014