Sala de Imprensa - USP – Universidade de São Paulo
E-mail: 
Fone:   +55 11 3091-3220 / 3300
Podcast - 02/08/2012 - Imprimir Imprimir

Vestibular é o tema central do programa Palavra do Reitor

O programa “Palavra do Reitor” de hoje, dia 2 de agosto, foi dedicado ao processo de seleção da USP e, além do reitor João Grandino Rodas, contou também com a participação da diretora da Fundação Universitária para o vestibular (Fuvest), Maria Thereza Fraga Rocco.

Todos os anos, cerca de 150.000 candidatos enfrentam uma maratona de provas para conquistar uma das 10.982 vagas oferecidas pela Universidade de São Paulo. Para continuar sendo uma das universidades mais procuradas pelos jovens, a USP tem investido em programas que beneficiam o ensino da Graduação como o Programa de Recuperação dos Espaços Didáticos, que está investindo 25 milhões de reais na recuperação das salas de aula; e o Pró-Inovalab, que investirá 10 milhões em projetos de aprimoramento e atualização de laboratórios destinados às aulas práticas dos cursos de Graduação.

O reitor também informou que estão abertas até o dia 15 de agosto as inscrições para o Programa de Avaliação Seriada (Pasusp), que concede até 15% de bônus aos alunos que cursaram todo o ensino básico na rede pública. Mas, apesar da necessidade de se aumentar o número de alunos oriundos de escolas públicas, o reitor lembra que a prioridade é melhorar a qualidade do ensino da rede pública e ressaltou o cuidado que se deve ter para não comprometer a qualidade dos alunos que ingressam nas universidades. Segundo o dirigente, “essas ações são necessárias, mas são ações contingenciais, são ações que precisam ser feitas apenas por um período e não devem ser permanentes”.

Outra a ação muito importante é a Política de Permanência e Formação Estudantil que fornece bolsas e apoio para que o estudante de baixa renda tenha condições de se manter durante seu período de formação. Em 2012, houve um aumento de mais de 30% dos recursos destinados às bolsas de permanência, totalizando 123 milhões de reais. “Isso sim é importante. O bônus para a pessoa entrar porque não aprendeu na escola pública é algo que precisa se fazer por um período, mas as bolsas e os auxílios para aqueles que entram na USP e não poderiam continuar, mesmo a USP sendo gratuita, é algo que a Universidade precisa fazer sempre e mais”, justificou o reitor.

Sobre o aumento crescente da aprovação de alunos oriundos da rede pública, a diretora da Fuvest, Maria Thereza Fraga Rocco, desmistifica a ideia de que a USP é uma universidade para ricos: “o perfil dos alunos aprovados para a USP varia em razão dos salários mínimos. Temos 65% dos aprovados com renda familiar de até 10 salários mínimos e temos 10% dos aprovados têm renda familiar acima de 20 salários mínimos”.

A professora também informa que hoje, o percentual de homens e de mulheres é bem equilibrado. Em homenagem às mulheres que contribuíram para aumentar a participação feminina nas universidades, o programa reproduziu trechos de uma entrevista com a escritora Lygia Fagundes Telles, aluna da Faculdade de Direito no início da década de 1940; e do depoimento de Esther de Figueiredo Ferraz, primeira mulher a lecionar na Faculdade de Direito do Largo São Francisco. Ao falar de outra aluna ilustre dessa unidade, Guita Mindlin, o reitor aproveitou para falar sobre o prédio que abrigará a Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin.

A seguir, ouça a íntegra do programa produzido no estúdio avançado da Rádio USP.

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

•  •  •  •