Sala de Imprensa - USP – Universidade de São Paulo
E-mail: 
Fone:   +55 11 3091-3220 / 3300
Press release - 17/12/2014 - Imprimir Imprimir

Departamento de Recursos Humanos da USP recebe prêmio da SP-PREVCOM

Embora a cerimônia de premiação tenha acontecido no dia 10 de dezembro, a diretora do DRH, Ana Carla Bliacheriene, reuniu a equipe para agradecer o empenho de todos e receber os brindes oferecidos pela SP-PREVCOM

O Departamento de Recursos Humanos da USP (DRH) conquistou a segunda edição do Prêmio Cinco Estrelas, concedido pela Fundação de Previdência Complementar do Estado de São Paulo (SP-PREVCOM) aos departamentos de Recursos Humanos dos órgãos estaduais de São Paulo campeões em adesões.

Com aproximadamente 6.000 adesões no ano de 2014, o DRH venceu na categoria Antares, referente ao maior número de novas adesões. Ao todo, o prêmio é dividido em oito categorias e a lista completa dos vencedores está disponível no site da SP-PREVCOM.

Plano de Previdência Complementar da USP

O convênio de adesão da USP aos planos de benefícios da SP-PREVCOM, aprovado no final de 2013, foi resultado de quase um ano de planejamento e negociações entre o DRH, a Procuradoria-Geral da USP e a SP-PREVCOM.

Para que sua implantação tivesse êxito, o DRH, em parceria com a SP-PREVCOM, realizou um programa institucional com intensa campanha informativa, apresentações para todos os campi da Universidade, treinamento para capacitação das equipes de RH das Unidades, realização de simulações, disponibilização de uma página específica na internet, elaboração de material informativo e desenvolvimento de uma comunicação segmentada para os diferentes perfis de servidores. Todas essas ações culminaram em uma grande adesão, especialmente dos servidores técnico-administrativos.

Como explica a diretora do RH, Ana Carla Bliacheriene, a previdência complementar é mais um benefício da USP aos servidores, por meio da contrapartida institucional correspondente ao mesmo valor investido pelo servidor, se este estiver na modalidade de participante ativo, até o limite de 7,5% do salário de participação. “A previdência complementar do serviço público é uma vantagem para o servidor. Estudos indicam que já em 2050 o modelo de previdência pública brasileiro não será mais capaz de atender a demanda da população. Nesse cenário, uma forma de proteger a aposentadoria do nosso servidor é dar a ele a informação necessária para uma opção que garanta sua saúde financeira nesta fase”, esclarece Ana Carla.

Novos objetivos

Embora ainda haja uma parcela de servidores técnico-administrativos que não aderiu à aposentadoria complementar, o foco das campanhas do DRH para os próximos anos é um trabalho mais específico, voltado ao docente que tenha ingressado após 21 de janeiro de 2013, já sob o novo modelo de previdência do Estado de São Paulo, instituído pela Lei nº 14.653.

Por este novo modelo, todas as aposentadorias e pensões a serem concedidas pelo Regime Próprio de Previdência Social do Estado de São Paulo estarão limitadas ao teto equivalente estabelecido para os benefícios do Regime Geral de Previdência Social que, atualmente, é de R$ 4.390,24.

(Foto: Ernani Coimbra)

•  •  •  •