Exposição “O Olhar de Hercule Florence sobre os Índios Brasileiros” fica em cartaz até 31/07

Publicado por Eliete Viana em 3 de junho de 2015 - 8:00 - Categoria: Blog da USP

[1]

Índios Apiacás fotografados por Hercule Florence, em 1828 – reprodução fotográfica de original conservado no Arquivo da Academia de Ciências (São Petersburgo)

[2]

Índios Apiacás na Aldeia Nova Esperança (MT), em 1981 – fotografia do arquivo pessoal Eugênio Gervásio Wenzel (Araras)

Foi prorrogada, até o dia 31 de julho, na Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin, a exposição “O Olhar de Hercule Florence sobre os Índios Brasileiros”.

A exposição reconstrói a trajetória de diversos grupos indígenas a partir dos registros de Hercule Florence (1804-1879), artista e cientista de origem franco-monegasca, que percorreu o interior do Brasil integrando a Expedição Langsdorff (1825-1829), missão científica que realizou monumental levantamento de dados geográficos e etnográficos no país no século XIX.

Na mostra, a partir de desenhos e textos de Hercule Florence, é apresentado um registro histórico e social de várias etnias indígenas – Apiaká, Munduruku, Bororo, Guaikuru/Kadiwéu, Kayapó do Sul/Panará, Coroado/Kaingang, Xavante paulista, Guaná e Guató -, alguns deles reproduzidos da versão final de seu manuscrito inédito L’ami des arts livré à lui-même (1837-1859).

Além do material de Florence, a exposição conta também com objetos do Museu de Arqueologia e Etnologia (MAE) da USP, fotografias do Instituto Socioambiental, Museu do Índio e do Laboratório de Imagem e Som em Antropologia (LISA) da USP, obras da Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin, vídeos e mídias digitais que documentam as dinâmicas destes grupos indígenas e mostram sua situação atual.

[3]

Na abertura da exposição, em 6 de maio, visitante observa braçadeiras usadas pela etnia indígena Munduruku, que faz parte do acervo do MAE, coletado em 1931

Em cartaz desde o dia 6 de maio, a exposição é uma realização do Instituto Hercule Florence, em conjunto com a Secretaria Estadual de Cultura, o Instituto Socioambiental e, pela USP, a Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin, o MAE e o Laboratório de Estudos sobre Etnicidade, Racismo e Discriminação (LEER). A curadoria, pesquisa e textos são de Glória Kok e Francis Melvin Lee.

A exposição é gratuita e está aberta para visitação até 31 de julho, de segunda a sexta-feira (com exceção do próximo feriado prolongado, nos dias 4 e 5 de junho), das 8h30 às 18h30, na Sala Multiuso da Biblioteca, localizada na Rua da Biblioteca, s/n, Cidade Universitária, São Paulo.

Mais informações pelo telefone (11) 2648-0310 ou por e-mail: contato@ihf19.org.br [4]

(Fotos: Ernani Coimbra) – Matéria atualizada em 30/06/15

Tweet [5]

Artigo impresso de Sala de Imprensa: http://www.usp.br/imprensa

URL do artigo: http://www.usp.br/imprensa/?p=49950

Copyright © 2010 - USP - Sala de Imprensa