Sala de Imprensa - USP – Universidade de São Paulo
E-mail: 
Fone:   +55 11 3091-3220 / 3300
Press release - 18/09/2015 - Imprimir Imprimir

USP pode desenvolver projetos na área do Porto de Santos

994X7679

Na reunião, foi discutida a parceria entre a USP e a Codesp

No dia 14 de setembro, o reitor Marco Antonio Zago recebeu o presidente da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), Angelino Caputo e Oliveira, para discutir o estabelecimento de um convênio de cooperação entre as duas Instituições para o desenvolvimento de projetos na região do Porto de Santos, em São Paulo.

Também participaram do encontro o diretor presidente da Brasil Terminal Portuário, Antonio Passaro; o secretário de Assuntos Portuários e Marítimos da Prefeitura de Santos, José Eduardo Lopes; o secretário adjunto de Desenvolvimento Econômico e Inovação, José Antonio Oliveira de Rezende.

Pela USP, fizeram parte da reunião o vice-reitor Vahan Agopyan; a vice-diretora da Escola Politécnica (EP), Liedi Legi Bariani Bernucci; e o superintendente de Relações Institucionais, José Roberto Drugowich de Felício.

Segundo o presidente da Codesp, Angelino Caputo e Oliveira, diversos projetos podem resultar dessa parceria, a ser estabelecida com a Escola Politécnica. “A USP pode realizar estudos técnicos e simulações com o objetivo de viabilizar o planejamento dos acessos marítimos e terrestres ao Porto, em especial as manobras dos navios, os efeitos hidrodinâmicos da navegação, orientações para os programas de dragagem e proteções contra erosão e assoreamento e também simulações dos tráfegos rodoviários e ferroviários”, afirmou.

Para a vice-diretora da Escola Politécnica (EP), Liedi Legi Bariani Bernucci, o principal ponto a ser destacado com o estabelecimento futuro desta parceria é a possibilidade de a Poli colaborar na melhoria e aprimoramento das operações do Porto, considerado o mais importante do Brasil.

Santos alcançou, em 2015, seu maior movimento de cargas para o primeiro semestre do ano, somando 55,2 milhões toneladas. O número supera em 2,6% o recorde anterior, registrado em 2013, de 53,7 milhões toneladas. Sua área de influência econômica concentra mais de 50% do produto interno bruto (PIB) do país e abrange, principalmente, os Estados de São Paulo, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.

A previsão é que o convênio seja assinado até o final de novembro deste ano.

(Fotos: Ernani Coimbra / Divulgação)

•  •  •  •