Sala de Imprensa - USP – Universidade de São Paulo
E-mail: 
Fone:   +55 11 3091-3220 / 3300
Blog da USP - 09/12/2010 - Imprimir Imprimir

Parecer da Comissão Gestora do Prêmio Excelência Acadêmica Institucional USP

Ao fim da Reunião realizada em 9 de dezembro de 2010 e com base nos indicadores constantes do Art. 3º da Resolução nº 5483 de 6 de novembro de 2008, a Comissão se manifesta desfavoravelmente à concessão do Prêmio no ano de 2010.

Justificativas:

I. – Quanto ao critério relativo ao inciso I do Artº 3º- Avaliação CAPES.
A comissão reconhece que houve uma melhora no período trienal que, entretanto, não se refere exclusivamente ao ano de 2009.

II. – Quanto ao posicionamento da USP nos Rankings Internacionais constantes do inciso II do Artº 3º.
• A posição da USP no Ranking WEBOMETRICS desceu da posição nº 38 no segundo semestre de 2009 para a posição nº 122 no segundo semestre de 2010;
• A posição da USP no ranking elaborado pela Institute of Higher Education SHANGAI JIAO TONG University, que era nº 115 em 2009, passou em 2010 para nº 143;
• No ranking HEEACT – Higher Education Evaluation and Accreditation Council of Taiwan, a USP passou da posição nº 78 em 2009 para a posição nº 74 em 2010;
• A posição da USP no ranking da Times Higher Education Supplement que era nº 207 em 2009, passou a ser nº 232 em 2010.
A constatação é a de que este indicador não permite considerar evolução positiva.

III. – No que toca ao indicador – Avaliação e cumprimento dos planos de metas – Comissão Permanente de Avaliação – CPA
A CPA não dispõe de indicadores que possam ser utilizados para uma avaliação anual.

Estiveram presentes à reunião Prof. Hélio Nogueira da Cruz, Vice-Reitor, Profa. Telma Maria Tenório Zorn, Pró-Reitora de Graduação, Prof. Vahan Agopyan, Pró-Reitor de Pós-Graduação, Prof. Marco Antonio Zago, Pró-Reitor de Pesquisa, Prof. Welington Braz Carvalho Delitti, Presidente da Comissão de Atividades Acadêmicas, Alexandre Pariol Filho, representante dos funcionários e Francisco Carvalho de Brito Cruz, representante discente da graduação.

Os membros presentes sugeriram o reestudo da Resolução 5483/2008, principalmente nos aspectos referentes aos critérios de avaliação de desempenho.

O senhor Alexandre Pariol Filho e o senhor Francisco Carvalho de Brito Cruz votaram a favor da concessão do prêmio. Os demais votaram desfavoravelmente.

São Paulo, 9 de dezembro de 2010

Hélio Nogueira da Cruz
Presidente da Comissão Gestora do Prêmio
Excelência Acadêmica Institucional USP

•  •  •  •

37 Comentários para Parecer da Comissão Gestora do Prêmio Excelência Acadêmica Institucional USP

  1. MÁRCIA's Gravatar MÁRCIA
    10 de dezembro de 2010 às 8:53 | Permalink

    LAMENTÁVEL!

  2. gilberto's Gravatar gilberto
    10 de dezembro de 2010 às 9:42 | Permalink

    Procurem no Google “ranking das universidades” e veja a posição da USP no Brasil (inclusive recebemos email da usp informando que fomos a melhor universidade do Brasil). Quanto ao ranking internacional, nós temos os mesmos recursos para uma comparação entre Universidades (salarios, verbas, laboratórios) ?

  3. Joana's Gravatar Joana
    10 de dezembro de 2010 às 10:29 | Permalink

    Teria sido muito melhor dizer não de uma vez do que criar toda essa expectativa, com todos esperando uma grana a mais para pagar dividas e outros.

  4. Altair Pereira's Gravatar Altair Pereira
    10 de dezembro de 2010 às 11:59 | Permalink

    Acredito que seja melhor encerrar essa modalidade de avaliação muito subjetiva e partirmos para uma situação mais concreta, até para sabermos onde é necessário melhorar em nosso desempenho.

  5. JP's Gravatar JP
    10 de dezembro de 2010 às 12:00 | Permalink

    Prezados Senhores,
    Em uma das reuniões do CO, foi cogitado que o dito PRÊMIO fosse pago somente aos Docentes. Porém graças a sensibilidade de alguns diretores que foram contra essa diferenciação, este item foi tirado da pauta e ficou de ser decidido em reunião futura
    Então tenho 2 perguntas 1) Se seria dado um prêmio aos profesores, qual foi o critério de avaliação usado???
    2) Será que arrumaram todas estas justificativas só porque o prêmio teria que ser dado aos funcionários e assim justificar a negativa???

  6. MARCOS VALE's Gravatar MARCOS VALE
    10 de dezembro de 2010 às 13:10 | Permalink

    AGORA PODEMOS DIZER PARA O MUNDO QUE A UNIVERSIDADE NÃO É DIGNA DE EXCELÊNCIA. SIMPLESMENTE TRISTE. PARABÉNS.

  7. Julia's Gravatar Julia
    10 de dezembro de 2010 às 13:15 | Permalink

    Como os funcionários podem contribuir na avaliação se ficam atrelados à boa vontade dos docentes em produzir pesquisas e projetos para a Universidade? Não é o trabalho técnico que eleva a USP no ranking… Por mais que trabalhemos, jamais teremos o reconhecimento dos nossos esforços. E, quais critérios são utilizados para avaliar se os funcionários merecem ou não o prêmio?

  8. Carlos's Gravatar Carlos
    10 de dezembro de 2010 às 13:47 | Permalink

    II. – Quanto ao posicionamento da USP nos Rankings Internacionais constantes do inciso II do Artº 3º.
    • A posição da USP no Ranking WEBOMETRICS desceu da posição nº 38 no segundo semestre de 2009 para a posição nº 122 no segundo semestre de 2010;
    • A posição da USP no ranking da Times Higher Education Supplement que era nº 207 em 2009, passou a ser nº 232 em 2010.

    O ano analisado em questão é 2009, por quê se basearam em dados de 2010 ?!

  9. 10 de dezembro de 2010 às 14:00 | Permalink

    Caro sr. Carlos, conforme consta na resolução nº 5483, que instituiu o Prêmio: “Parágrafo único – No caso dos rankings, o resultado é divulgado até o mês de outubro de cada ano e mede as ações ocorridas no ano imediatamente anterior ao da sua divulgação.”

    Cordialmente, Sala de Imprensa

  10. Cristiane's Gravatar Cristiane
    10 de dezembro de 2010 às 14:30 | Permalink

    Não significa nada a USP ser a melhor do país????

  11. Paulo's Gravatar Paulo
    10 de dezembro de 2010 às 15:05 | Permalink

    O que achei mais interessante também é que desde a criação da Comissão Permanente de Avaliação – CPA, em 2002, ainda não deu tempo para criar indicadores que possam ser utilizados para uma avaliação anual. Como a Comissão criada para Avaliar, avalia sem indicadores então?

  12. Ana's Gravatar Ana
    10 de dezembro de 2010 às 15:09 | Permalink

    Ainda não entendi… Como disse o colega Carlos, o ano analisado não é 2009??? Tanto que os novos funcionários só teriam direito caso tivessem trabalhado ao menos seis meses em 2009? Estou equivocada?

  13. 10 de dezembro de 2010 às 15:10 | Permalink

    Cara sra Ana, disponibilizamos neste link a íntegra da resolução nº 5483, que instituiu o prêmio.

    Cordialmente, Sala de Imprensa

  14. 10 de dezembro de 2010 às 16:57 | Permalink

    Caramba!!!! Eu já gastei por conta… E agora?????????

  15. Marco Aurélio Werle's Gravatar Marco Aurélio Werle
    10 de dezembro de 2010 às 18:15 | Permalink

    Algumas ponderações:
    1. Será que a instituição desse prêmio na USP é razoável, ou melhor, racional? Parece-me que é uma forma equivocada de apreciação dos esforços no interior de uma universidade. Seria antes preciso averiguar atuações individuais, pensar em planos de carreira sólidos, não “abstratos”, etc.
    2. No parecer da Comissão acerca da não concessão do prêmio está implícito um pressuposto que teria de ser melhor trabalhado e discutido: a chamada “internacionalização da USP”, essa que é uma bandeira da atual gestão da Reitoria, mas que é assumida, em muitas de suas manifestações, de um modo bem rasteiro e irrefletido. Um exemplo é a reunião recente e ineficiente dos Coordenadores de Pós-Graduação, ocorrida numa cidade balneário do interior paulista. Supôs-se falsamente que existe algo em comum às Pós da USP e que coordenadores de diferentes aéreas e cursos teriam algo a comunicar um ao outro! A internacionalização é compreendida por meio de números, quantitativamente, e como subserviência ao estrangeiro, principalmente às línguas estrangeiras e aos meios de discussão “viciados”. A língua dominante é o inglês. Nem vou entrar aqui no mérito da idéia em si da Internacionalização, se ela é concreta ou apenas um modismo!
    3. Na apreciação desses “rankings” de universidades seria preciso examinar: a) a idéia de ranking é compatível com a noção clássica e forte de Universidade?; b) será que são contempladas as diferenças estruturais das universidades e os objetivos a que elas se propõem em cada país?
    4. Me pergunto se o “fracasso” da USP não se deve antes ao modo de como ela é administrada do que ao seu corpo docente, de funcionários ou discente. Veja-se o procedimento de várias Pró-reitorias a cada nova gestão, que criam programas inteiramente formalistas e pouco efetivos. Pautam-se por práticas deploráveis oriundas do meio político, guiadas pelo clientelismo e pela perspectiva do “novo”, segunda a máxima: “precisamos inventar algo”. Será que é tão difícil compreender que a Universidade se faz com pessoas engajadas (muitas anônimas) e que elas é que precisam ser ouvidas? É nisso que é preciso trabalhar e não na “invenção” de Programas, vindos de cima. Cito o caso da Pró-Reitoria de Graduação, que perpetua e cria programas inteiramente inúteis, como Ensinar com Pesquisa (termo verdadeiramente ridículo, pois existe ensinar sem pesquisa? Talvez isso ocorra em algum canto da USP, onde há uma divisão clara entre docente de pós e docente da graduação!). Aliás, diga-se francamente, a gestão anterior como a atual da Graduação tem uma visão “pedagogizante” da USP, do professor como executor de tarefas e não como “inventor”, “criador” e autônomo! A verdadeira aula de graduação e atuação dos professores passa longe de seus Programas!
    5. Um dos grandes problemas do atraso da USP é sua gestão, coordenada por pessoas que sabem pouco sobre o que é Universidade. Deduzo isso pelo que chega a nós, professores, vindo de cima: inúmeras atribuições e compromissos abstratos de ordem burocrática, que verdadeiramente impedem e atrapalham a atuação de pessoas sérias e minimamente pensantes! Impede-se a pesquisa e o estudo com a imposição de “reuniões” e cumprimento de prazos e “ordens”! A todo momento é preciso fazer tabelas e registros! Isso é Universidade?
    6. Muitos dos Pró-Reitores e sua equipe são “técnicos”, embora ostentem o título de Professores. Vêm das áreas das ciências da natureza ou das exatas, que acham que a Universidade poderá avançar com estatísticas, números e programas, que pode ser pensada segundo a estrutura de fábrica ou indústria. Universidade não é cálculo, mas pensamento!
    Precisamos de seres pensantes e atuantes, não de técnicos, gestores e “rankings” na USP!
    Atenciosamente,
    Marco Aurélio Werle
    Professor Livre-Docente do Depto. De Filosofia da USP

  16. 10 de dezembro de 2010 às 22:35 | Permalink

    Devemos ter orgulho da USP ser a primeira em nosso país, mas quanto ao prêmio pago no ano passado, não foi apresentado o ranking no qual a USP estava sendo avaliada.
    Diferente deste ano que não vamos receber o prêmio.

  17. agnaldo's Gravatar agnaldo
    12 de dezembro de 2010 às 15:49 | Permalink

    POR QUE NÃO OFERECER UM PRÊMIO INCENTIVO COMO FAZ O HOSPITAL DAS CLÍNICAS?

  18. 13 de dezembro de 2010 às 9:11 | Permalink

    Eu esperava receber o premio. Dediquei o máximo este ano acreditando ser reconhecido por esta universidade, perdi o espirito de natal.

  19. 13 de dezembro de 2010 às 21:36 | Permalink

    Sinto muito de não receber o prêmio, porque a maioria dos trabalhadores são acomodados e não vão a luta. Sinto saudade da ex-reitora Sueli. Feliz 2011.

  20. carlos martins's Gravatar carlos martins
    13 de dezembro de 2010 às 22:51 | Permalink

    A USP continua sendo uma das melhores universidades do mundo, apesar da notória queda nos rankings, como mostra os números oficiais. Ok. Tudo bem! vamos usar o jargão futebolístico: “a regra é clara!”.
    Concordo com a assertiva do professor Marco Aurélio; precisamos de seres pensantes e atuantes. Vocês imaginam se tivesse um ranking que avaliasse somente o trabalho das Magnificências. O reconhecimento monetário não é a unica forma de ampliar o valor do reconhecimento nas organizações de hoje, apesar do dinheiro ser uma forma importante de valorização do trabalho. Acredito que haja outras ações que acabam motivando o desempenho funcional de todos nós colaboradores, uma delas é a perspectiva de um futuro melhor. Vamos ver onde estaremos no próximo ranking.

  21. 14 de dezembro de 2010 às 6:32 | Permalink

    Quando será que os “Jenios ” , isso mesmo com “J” , vão se tocar que o maior bem de uma Universidade/Empresa são os funcionários, penalizar os funcionários é atirar no pé. Basta ver o desânimo estampado na cara dos funcionários que tanto lutaram pela instituição. Uma pena…

  22. Edvaldo's Gravatar Edvaldo
    14 de dezembro de 2010 às 10:38 | Permalink

    Concretamente: de onde vem o dinheiro do prêmio? De organismos internacionais? Creio que não.

    Então por que levar em conta, em primeiro lugar, avaliações internacionais, como critério para a concessão desse prêmio? O prêmio, corrijam-me se eu estiver errado, refere-se a um quadro comparativo entre universidades NACIONAIS.

    Lamentavelmente, a decisão foge ao bom-senso e à probidade intelectual que se espera de acadêmicos. Parabéns aos representantes dos funcionários e dos graduandos.

  23. osvaldo's Gravatar osvaldo
    14 de dezembro de 2010 às 18:16 | Permalink

    Sim, entendi o porquê não ser concedido o prêmio, para nós, técnicos, não nos foi dado, por parte de ninguém da direção, objetivos a serem atingidos, principalmente em comparação a níveis internacionais, já que a USP continua a ser a melhor Universidade do país; sim, entendi, não temos direção para determinar metas, só ficamos sabendo que foi nossa a culpa depois da reunião fatídica do conselho em 09/12/2010. Como alcançar metas que não são claramente definidas? De quem é a deficiência? Dos comandados e colaboradores ou dos ¨dirigentes? Que passam e a USP continua grande e altiva.

  24. Marlene Petros Angelides's Gravatar Marlene Petros Angelides
    15 de dezembro de 2010 às 15:25 | Permalink

    Como é possível que um único docente tenha se manifestado apontando, num texto curto mas certeiro, o que de mais grave ocorre nas Universidades Estaduais (e que impera nas universidades privadas)? O que fazem os docentes desta Universidade que não se dão ao trabalho de pensar sobre os graves problemas que vivenciamos, a fim de cobrar responsabilidades e exigir mudanças necessárias? Tem cabido aos funcionários questionar e denunciar esses descalabros – como foi na luta contra os decretos do governador, infelizmente inglória porque sabemos que eles têm sido implementados um a um na calada da noite com o conhecimento (e apoio?) dos administradores das universidades -, além de lutar corajosamente contra eles.
    Parabéns, Prof. Marco Aurélio, por perceber e apontar o que parece que muitos professores preferem fingir que não veem ou aceitam por puro oportunismo ou falta de ousadia. Tinha de ser alguém da Filosofia!
    Marlene Petros Angelides

  25. Renata's Gravatar Renata
    16 de dezembro de 2010 às 21:40 | Permalink

    Realmente isso é uma falta de respeito com os funcionários.
    Depender de ranking do exterior para chegar a um acordo, de dar ou não um premio,
    sendo que no Brasil a usp está em primeiro lugar.
    Realmente é um absurdo saber disso e ficar calado
    Quando será que o Brasil vai responder por si só?
    E vai mostrar que o Brasil está em primeiro lugar com seus habitantes
    Será que um dia isso vai existir?
    Acho que os funcionários da usp, tem sim como direito receber o premio, pq ao longo do ano
    veio exercendo as suas funções e teve a honra de colocar a USP em primeiro lugar em seu pais…
    Parabéns a todos os funcionários
    Pq todos merecem, mesmo que não fizeram a USP ter um ranking bom no exterior, mais fizeram o mais importante ser primeiro no Brasil
    Não deixem que isso desanime vcs
    Apesar de muitos dependerem deste premio, erga a cabeça e tenha um fim de ano maravilhoso, mesmo com aperto.

  26. Paulo's Gravatar Paulo
    26 de dezembro de 2010 às 17:32 | Permalink

    Muito interessante frisar tb. é a atuação da Comissão Permanente de Avaliação – CPA, formada em 2002, e que desde então ainda não dispõe de indicadores que possam ser utilizados para uma avaliação anual. Que tipo de avaliação é feita na CPA, se não há indicadores?

  27. Marcello's Gravatar Marcello
    6 de janeiro de 2011 às 12:45 | Permalink

    Esse prêmio é uma farsa (melhor nem ser dado mesmo). O prêmio real seria todos nós recebermos um salário condizente com a excelência da USP.

  28. 29 de novembro de 2011 às 20:44 | Permalink

    ola galera este ano vai sair o premio

  29. 29 de novembro de 2011 às 20:45 | Permalink

    e vamos torcer pra sair este ano

  30. Jeremias's Gravatar Jeremias
    30 de novembro de 2011 às 15:06 | Permalink

    Mesmo que a USP seja a melhor universidade em excelência, nossos salários nunca serão excelentes.

  31. Noeli's Gravatar Noeli
    1 de dezembro de 2011 às 15:56 | Permalink

    Com relação ao Prêmio Excelência Acadêmica no ano passado, não sei porque houve tanta especulação que seria pago aos funcionários e docentes, visto que a USP havia “caído” no ranking. Agora em 2011 a USP subiu no ranking, portanto tenho a esperança que ocorra.

  32. FUNCIONARIA's Gravatar FUNCIONARIA
    1 de dezembro de 2011 às 17:59 | Permalink

    E O PRÊMIO, SAI OU NÃO?
    PAREM COM ESSE MISTÉRIO E RESPONDAM LOGO !!!

  33. 6 de dezembro de 2011 às 19:39 | Permalink

    Finalmente fomos reconhecidos. Agora espero que o DRH verifique a questão de quem foi rebaixado na carreira e corrija essa injustiça.

  34. Noeli's Gravatar Noeli
    7 de dezembro de 2011 às 10:00 | Permalink

    O Prêmio Excelência, nos deixa orgulhosos por trabalhamos num lugar que reconhece os esforços de todos, ou seja, do corpo docente, do corpo discente e corpo técnico-administrativo da USP e também por reconhecer financeiramente.

  35. angela's Gravatar angela
    13 de dezembro de 2011 às 15:29 | Permalink

    a grande injustiça, mesmo o prêmio excelência ser relativo ao ano de 2010, funcionários aposentados durante o ano de 2o11, mesmo aqueles que se aposentaram no final do ano, antes da data de pagamento do prêmio, não tem direito ao prêmio.

  36. Gleide Ramos's Gravatar Gleide Ramos
    13 de dezembro de 2012 às 13:00 | Permalink

    Boa tarde!
    Gostaria de saber se faço jus ao prêmio que será pago agora em 2012.
    Entrei na Usp dia 4 de julho de 2011.
    Tivi folha avulsa referente a julho.
    No meu entendimento, trabalhei , julho, agosto, setembro, outubro, novembro e dezembro.
    Então 6 meses.
    Lí a resolução e lá não há expecificação , de quem entrou até tal data do ano anterior.
    Aguardo resposta.

    Gleide Ramos

  37. Sala de Imprensa's Gravatar Sala de Imprensa
    13 de dezembro de 2012 às 14:03 | Permalink

    Olá, Gleide.
    Consulte a Resolução nº 5483, de 06/11/2008, que instituiu o Prêmio: resolução http://www.usp.br/imprensa/wp-content/uploads/Portaria_premio.pdf
    Você também pode entrar em contato com o Departamento de Recursos Humanos, pelo e-mail: drh@usp.br

Deixe um comentário

Política de moderação de comentários

Este blog reserva-se o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou outros princípios da boa convivência. Dessa forma, serão suprimidos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa ou falsidade ideológica.