Sala de Imprensa - USP – Universidade de São Paulo
E-mail: 
Fone:   +55 11 3091-3220 / 3300
Blog da USP - 16/03/2017 - Imprimir Imprimir

Febrace 2017 terá festival ‘mão na massa”

A maior mostra de jovens talentos pré-universitários e seus projetos em Ciências e Engenharia, que acontece de 21 a 23 de março, nas dependências da Poli, em São Paulo, abrigará o 1º Festival de Invenção e Criatividade

A 15ª Edição da Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (Febrace), que começa no dia 21 de março na Escola Politécnica (Poli), em São Paulo, abrigará o 1º Festival de Invenção e Criatividade (FIC). Além da mostra dos projetos finalistas de estudantes do ensino médio de todo o País, o evento contará com oficinas, cursos e palestras com o objetivo de difundir a educação “mão na massa” entre estudantes do ensino fundamental, professores e gestores que atuam nesse nível do ensino.

2017.03.16 - Febrace Poli

A 15ª Edição da Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (Febrace) começa no dia 21 de março na Escola Politécnica (Foto: Marcos Santos)

Segundo a coordenadora geral dos eventos, a professora Roseli de Deus Lopes, o conceito da educação “mão na massa” parte do pressuposto de que o aprendizado é mais efetivo quando se aprende ao fazer, observar, manipular, testar hipóteses e buscar conhecimentos e desenvolver habilidades para solucionar um desafio. “Esse tipo de abordagem, além de ampliar as possibilidades de aprendizado, é a base do processo investigativo”, destaca. “Tal qual são os projetos desenvolvidos pelos estudantes que estarão na Febrace.”

Ela explica que o movimento “mão na massa” adquiriu novo impulso a partir da recente popularização de kits de robótica e computação física, equipamentos como impressoras 3D e cortadoras laser, trazendo uma nova e forte onda “maker” (criador) e “DIY” (do it yourself – faça você mesmo) a partir dos Estados Unidos e se propagando rapidamente para outros países, incluindo o Brasil.

Nele, os alunos têm à disposição diversos recursos, como materiais convencionais (papel, papelão, madeira, barbante, elásticos, tesoura), somados a impressoras 3D, cortadoras laser e materiais de robótica e computação física, para criar experimentos e invenções. “Na mostra interativa do Festival, traremos parceiros que irão oferecer atividades para as crianças com essa proposta, além de oficinas para professores e gestores com estratégias para adotar essa proposta”, conta a professora Roseli. O FIC está sendo organizado pela Poli em conjunto o Transformative Learning Technologies Lab da Universidade de Stanford, do Media Lab – Massachusetts Institute of Technology (MIT) e do Programaê.

Projetos inovadores

O público esperado para a Febrace deste ano é de 14 mil visitantes – dois mil a mais que na edição anterior. “Nesta edição, serão 346 projetos desenvolvidos por 763 estudantes do ensino médio com a orientação ou co-orientação de 484 professores. “Os projetos se destacam por oferecer soluções criativas para problemas reais e muitos são de fato inovadores”. É o caso, por exemplo, de uma fita reagente que detecta resíduos de agrotóxicos em hortaliças, de uma plataforma para auxiliar a integração de migrantes e refugiados e de um dispositivo que permite rastrear bagagens perdidas.

Os finalistas foram selecionados entre mais de 2.100 projetos, submetidos diretamente pelos estudantes ou por meio das 126 feiras de ciência afiliadas à Febrace. Abrangem diversas áreas do conhecimento e representam estudantes de todos os estados brasileiros. A maioria dos estudantes selecionados como finalistas é de escolas públicas (194), seguida de instituições privadas (67) e fundações (22).

Como nos anos anteriores, os estudantes e seus projetos serão avaliados por pesquisadores e especialistas de diversas áreas do conhecimento. Os estudantes melhor avaliados ganharão troféus, medalhas, bolsas e estágios, num total aproximado de 300 prêmios. Também concorrerão a 70 bolsas de iniciação científica Junior do CNPq e a uma das vagas (9 projetos, máx. 15 estudantes autores) para representar o Brasil na Feira Internacional de Ciências e Engenharia da Intel (Intel ISEF), que será realizada em maio, em Los Angeles (EUA).

Sobre a Febrace

Promovida anualmente pela Poli, por meio do Laboratório de Sistemas Integráveis (LSI), a Febrace é a maior feira brasileira pré-universitária de Ciências e Engenharia em abrangência, qualidade científica/tecnológica e visibilidade. Seu objetivo é estimular a cultura científica, a inovação e o empreendedorismo na educação básica, despertando novas vocações nessas áreas e induzindo práticas pedagógicas inovadoras nas escolas. Além da mostra de projetos, a Febrace conta com atividades voltadas para gestores e para os professores orientadores dos estudantes participantes.

Esta edição conta com apoio institucional do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) – Secretaria de Ciência e Tecnologia para Inclusão Social (SECIS), do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), e tem patrocínio da INTEL do Brasil, Petrobras, Samsung, Instituto Votorantim e Fundação Lemann.

A mostra pública de projetos da Febrace 2017 será realizada de 21 a 23 de março e estará aberta ao público em geral das 14h às 19h, em uma tenda instalada no estacionamento da Escola Politécnica (Av. Prof. Luciano Gualberto, nº 3, travessa 3, Cidade Universitária). A entrada é franca. Mais informações: www.febrace.org.br.

(Assessoria de Imprensa da Escola Politécnica)

•  •  •  •

Deixe um comentário

Política de moderação de comentários

Este blog reserva-se o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou outros princípios da boa convivência. Dessa forma, serão suprimidos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa ou falsidade ideológica.