Proin - Projeto Integrado do Arquivo Público do Estado e Universidade de São Paulo
Proin > Parcerias

ARQUIVO NACIONAL DO RIO DE JANEIRO: em 2008, o PROIN - enquanto Laboratório de Estudos da Memória Brasileira, foi convidado a participar do projeto Memórias Reveladas: Centro de Referência das Lutas Políticas no Brasil (1964-1985), coordenado pelo Prof. Dr. Jaime Antunes, diretor-geral desta instituição. O projeto leva em consideração o fato de que se faz necessário “integrar arquivos, bibliotecas, museus e centros de documentação e pesquisa brasileiros, uma vez que a guarda e o tratamento de documentos arquivísticos não são exercidos unicamente por arquivos”. Segundo Antunes, “esta é uma experiência inédita para a implantação de uma política pública de integração em rede de acervos e instituições, viabilizando o cumprimento de um requisito constitucional de acesso à informação a serviço da cidadania”. A idéia é de promover a alimentação progressiva dos dados e informações contidos em vários acervos do Brasil no Banco de Dados Memórias Reveladas, possibilitando desta forma a criação da Rede Nacional de Cooperação e Informações Arquivísticas. Com este envolvimento pretende-se aproximar as instituições e entidades que hoje trabalham de forma isolada no trato da informação pública ou privada de interesse público. Através desta trama de informações será possível reconstituir parte da história e da memória política brasileira com ênfase nos registros documentais de nossa história contemporânea, tanto política como dos movimentos sociais. Caberá ao PROIN, assim como as demais instituições e grupos de pesquisa envolvidos com o projeto Memórias Reveladas, manter em seu site, os dados e informações do Arquivo Nacional e das entidades parceiras da Rede, assim como de Cooperação e Informações Arquivísticas., relativas às lutas políticas e sociais durante o regime militar no Brasil. Foram indicadas como técnicos representantes do PROIN para atuar no projeto Memórias Reveladas, os pós-graduandos e pesquisadores Gláucia Castelan, Erick Godliauskas Zen e Márcia Yumi Takeuchi. Pretende-se, através da equipe de monitores FAPESP, contribuir para o cadastramento dos dossiês e prontuários do Fundo DEOPS/SP. Coordenados pelo Arquivo Nacional, participam do Centro de Referências Memórias Reveladas: Casa Civil, Comissão de Anistia do Ministério da Justiça, Secretaria Especial dos Direitos Humanos, Superior Tribunal Militar, Arquivo Público de Alagoas, Arquivo Público do Estado do Ceará, Arquivo Público Estadual do Espírito Santo, Arquivo Público do Estado do Maranhão, Arquivo Público Mineiro, Depto. Estadual de Arquivo Público do Paraná, Arquivo Público Estadual João Emerenciano, Arquivo Público do Estado do Rio de Janeiro, Arquivo Público Estadual do Rio Grande do Norte, Arquivo Histórico do Rio Grande do Sul, Arquivo Público do Estado São Paulo, PROIN- Laboratório de Estudos da Memória Política Brasileira/USP, Arquivo Público Estadual de Sergipe, :AAESP, Arquivo Edgard Leuenroth/ Unicamp AEL, UNESP/CEDEM – Centro de Documentação e Memória da Unesp, CEDIC PUC/SP, CPDOC / FGV, Centro de Informação e Documentação Arquivísticas. da Universidade Federal de Goiás, Centro de Documentação e Pesquisa Vergueiro, Grupo Tortura Nunca Mais/SP e Projeto Armazém Memória.

ARQUIVO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO: em 1996, através do Prof. Dr. Nílio Odália, iniciamos as pesquisas junto ao Fundo DEOPS;SP, acervo que havia sido entregue para a guarda do Arquivo do Estado. Desde esta época, atuava como assessor da direção, o Prof. Lauro Ávila que, ainda hoje, acompanha de perto as atividades do PROIN. Foi durante a gestão do Dr. Fausto Couto Sobrinho que o PROIN assumiu o perfil de núcleo de pesquisa e formador de historiadores em nível de excelência. Através da assinatura de um Termo de Compromisso com a FFLCH-USP, o Arquivo do Estado transformou-se no principal incentivador das realizações do PROIN: estágios monitorados, pesquisas em nível de graduação e pós-graduação, laboratório de informática. As primeiras iniciativas estiveram centradas no mapeamento e identificação dos prontuários DEOPS e digitação de cerca de 184 mil fichas policiais. Esta proposta subsidiou vários projetos de Iniciação Científica que, desenvolvidos com bolsas FAPESP, foram posteriormente publicados na série Inventários DEOPS, coordenada por Tucci Carneiro. Desta parceria surgiram dois projetos temáticos FAPESP identificados com fases muito bem demarcadas Temático PROIN I (1999-2004), tendo como tema “Inventários DEOPS”; e Temático PROIN II (2007-2011), que tem como tema “ Os Arquivos da Repressão e da Resistência. História e Memória: mapeamento, análise e digitalização dos Fundos DEIP/SP e DEOPS/SP. Participam como coordenadores de projetos especiais os seguintes professores doutores: Antonio de Pádua Fernandes Bueno (Direito - UNINOVE), Boris Kossoy (CJE/ECA-USP), Carlos Eduardo Boucault (Direito-UNINOVE); Elizabeth Cancelli (DH/FFLCH-USP), Federico Croci (professor visitante da Universidade de Gênova; DHM/FFLCH-USP), Mariana Cardoso Ribeiro, Pedro Ortiz (TV USP; Cásper Libero), Priscila Ferreira Perazzo (Universidade Municipal de São Caetano do Sul e Regina Célia Pedroso (Direito/Mackenzie).

CEIS20 - Centro de Estudos Interdisciplinares da Universidade de Coimbra (Portugal), Universidade de Açores (Portugal) e Departamento de História da Universidade de Bologna (Itália): esta parceria surgiu em 2004, fruto de um encontro informal do Prof. Dr. Alberto Di Bernardi, diretor do Departamento de História da Universidade de Bologna. Stefano Salmi, funcionário e pesquisador desta mesma universidade, com a Profa. Dra. Maria Luiza Tucci Carneiro, então coordenadora do PROIN. A idéia de formar um grupo de estudos sobre os fascismos na Europa e América Latina tomou forma e ganhou adeptos, dentre os quais o Prof. Dr. Luiz Reis Torgal, diretor do CEIS20 da Universidade de Coimbra. A proposta que ainda persiste é de organizar seminários temáticas que reúnam especialistas sobre o fascismos e suas múltiplas facetas. Optamos por seminários cíclicos, realizados uma vez por ano em cada uma das universidades envolvidas com este projeto. Até o presente momento foram realizados quatro encontros: Bologna (2005), São Paulo, (2006), Coimbra (2007) e Ribeira Grande, em Açores (2008). Citando o Prof. Torgal: “Estes seminários são, acima de tudo, um lugar privilegiado para a troca de experiências de investigadores e para o debate de idéias, tendo em vista o germinar de novos conhecimentos e de novos problemas. Os resultados destes seminários são publicados no formato de Atas de forma a permitir estudos comparativos e temáticos sobre o tema, em suas variáveis.

PINACOTECA DO ESTADO: entre junho de 2008 e janeiro de 2009, o PROIN esteve envolvido com o projeto de criação do Memorial da Resistência a ser instalado no prédio da Estação Pinacoteca, espaço ocupado pelo DEOPS/SP entre 1940-1983. Atendendo ao convite de Marcelo Mattos Araujo, diretor da Pinacoteca, o projeto foi desenvolvido pela museóloga Maria Cristina Bruno (MAC-USP) e Maria Luiza Tucci Carneiro (DH; FFLCH-USP). Apresentado com base em propostas conceituais e metodológicas, este projeto teve como objetivo a remodelação do espaço até então conhecido como Memorial da Liberdade. A alteração do nome para Memorial da Resistência ocorreu oficialmente no dia 1 de maio de 2008. Trata-se de um projeto dedicado a reconstituir a história e a memória da repressão e da resistência tendo como espaço-símbolo a antiga sede do DEOPS, hoje ocupado pela Estação Pinacoteca. O historiador Erick Reis Godliauskas Zen participou diretamente da equipe de pesquisa histórica na qualidade de pesquisador do PROIN. O núcleo principal do projeto já foi executado possibilitando a inauguração do Memorial da Resistência no dia 24 de janeiro de 2009. Neste mesmo dia, o PROIN inaugurou a exposição temporária Círculo fechado: os japoneses sob o olhar vigilante do DEOPS/SP, com curadoria de Boris Kossoy e pesquisa de Márcia Yumi Talkeuchi.

Digital Industry