Proin - Projeto Integrado do Arquivo Público do Estado e Universidade de São Paulo
Proin > Publicalções > 2001

Hiroshima 1945 - 2007
Testemunhos e Diálogos

Autor: Elza Ajzenberg e Maria Luiza Tucci Carneiro
Editora:
Ano: 2007

Apresentação:

Este é um livro/catálogo que reúne imagens e textos sobre a bomba atômica que caiu sobre a cidade de Hiroshima no dia 6 de agosto de 1945. No seu conjunto, os traços, as cores e as palavras que pigmentam estas páginas traduzem as mensagens de alerta e de paz produzidas por aqueles que, entre 6 de agosto de 2005 e 22 de janeiro de 2007, tiveram a oportunidade de visitar a exposição Hiroshima. Testemunhos e Diálogos. Manifestações de solidariedade e amor ao povo japonês, em distintos momentos, serviram para demonstrar que essas cicatrizes ainda sangram.

Considerando que as reproduções que compõem esta exposição têm vida curta, procuramos garantir a memória deste evento que, com sucesso de público, percorreu três importantes capitais brasileiras: São Paulo, Brasília e Florianópolis. À edição das imagens selecionadas junto ao Hiroshima Peace Memorial Museum, por Fernanda Torres Magalhães, e junto ao Fundo DEOPS/SP, pela equipe PROIN, somamos registros desta rememoração que, em cada lugar, recebeu um título e uma abordagem singular com o objetivo de explorar o potencial dos desenhos. Tendo a paz como fio condutor, procuramos instigar os visitantes a redescobrirem “memórias” de forma a produzir um efeito do passado sobre o presente. Procurando extrapolar o banal e o estético, evocamos o diálogo, a solidariedade, os lugares comuns na vida e na morte. Acreditamos que educando o olhar e deixando vibrar a emoção, temos condições de minimizar os sentimentos de ódio e intolerância em prol de um futuro melhor. Muitas vezes, as tragédias coletivas se prestam para redimensionarmos nossas experiências individuais.

No MAC/Ibirapuera, em São Paulo, a exposição Hiroshima. Testemunhos e Diálogos, 1945-2007, recebeu o público visitante de 15.357 pessoas de várias faixas etárias, além de outras 5.225 crianças, da rede municipal de ensino, entre 5 e 7 anos, totalizando 20.582 pessoas. Em 2006 foi reapresentada no campus da USP Leste por onde passaram cerca 4.654 visitantes, tendo o tema da solidariedade como motivo. Meses depois, foi remontada no ECCO-Espaço Cultural Contemporâneo, em Brasília, sob o título Hiroshima. Mensagem para Paz, 1945-2006, atendendo cerca de 14.650 visitantes, muitos dos quais professores e alunos do ensino fundamental. Entre outubro de 2006 a janeiro de 2007, Hiroshima. Imagens e Memórias pela Paz, 1945-2007, ficou exposta no CIC- Centro Cultural da Fundação Catarinense de Cultura, em Florianópolis. Hoje, sob a guarda da Estação Ciência, da Pró-Reitoria de Cultura e Extensão da USP, será remontada e reaberta à visitação neste próximo semestre de 2007, em parceria com o LEER- Laboratório de Estudos sobre Etnicidade, Racismo e Discriminação, do Departamento de História da FFLCH/USP.

Em todos os espaços, a exposição Hiroshima deixou sua mensagem de paz e de repúdio às armas atômicas. Os brados dos guerreiros -- jovens tocadores de taikô (太鼓) que se apresentaram em todas as inaugurações da mostra -- provocaram ecos na alma de todo visitante, de qualquer nacionalidade, idade, sexo e religião. Simbolicamente, os sons e as pausas marcadas no rítmo dos grandes tambores, eram cruciais para adicionar dramaticidade e tensão aos desenhos alí expostos como “testemunhos da tragédia”. Mas, ao mesmo tempo, anunciavam a persistência da vida e da cultura japonesas que sobreviveram ao ódio e a guerra. Nas oficinas de tsurús, os papéis foram dobrados pela tradição guardando as mensagens de paz das nossas crianças para o povo japonês, mantendo como fio condutor a idéia de que a paz é “a mais rara e bela jóia que existe” (Stern, 2004).

Maria Luiza Tucci Carneiro

Universidade de São Paulo


Digital Industry