Avaliação comportamental de um caso de tricotilomania em uma adolescente

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Marisa Richartz
Robson Zazula
Marcia Cristina Caserta Gon

Resumo

Objetivou-se realizar uma avaliação comportamental em uma adolescente com tricotilomania, que se caracteriza por ser uma perda capilar em pessoas que arrancam cabelo ou pelos. Participaram do estudo uma adolescente e sua mãe. A mãe respondeu aos seguintes instrumentos: Roteiro de entrevista para pais e/ou cuidadores, Inventário de comportamentos para crianças e adolescentes entre 6 e 18 anos (CBCL/ 6-18) e Inventário de estilos parentais (IEP). A adolescente respondeu aos seguintes instrumentos: Roteiro de entrevista para adolescente, Inventário de autoavaliação para adolescentes de 11 a 18 anos (YSR) e Inventário de habilidades sociais para adolescentes (IHSA). Constatou-se que o comportamento de tricotilomania apresenta consequências reforçadoras e punitivas e que a adolescente apresenta deficit de repertório social e problemas afetivos, de ansiedade e problemas de transtorno obsessivo-compulsivo. Sugerese a realização de novos estudos sobre a relação entre práticas parentais e a tricotilomania.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Palavras-chave:
Tricotilomania, Avaliação Comportamental, habilidades sociais, práticas parentais
Como Citar
Richartz, M., Zazula, R., & Gon, M. (2018). Avaliação comportamental de um caso de tricotilomania em uma adolescente. Revista Brasileira De Terapia Comportamental E Cognitiva, 20(2). https://doi.org/10.31505/rbtcc.v20i2.1017
Seção
Estudos de Caso
Biografia do Autor

Marisa Richartz, Consultório Particular

Psicóloga, Mestre em Análise do Comportamento pela Universidade Estadual de Londrina, Especialista em Terapia Comportamental - Terapia por Contingências de Reforçamento pelo Instituto de Terapia por Contingências de Reforçamento. Atua como psicóloga clínica em consultório particular. Atualmente desenvolve estudos/ atividades sobre psicoterapia e Análise do Comportamento aplicada a saúde.

Robson Zazula, Universidade Federal da Integração Latino Americana (UNILA)

Professor Assistente I do curso de Medicina da Universidade Federal da Integração Latino Americana (UNILA).

Marcia Cristina Caserta Gon, Universidade Estadual de Londrina (UEL)

possui graduação em Psicologia pela Universidade Estadual de Londrina (1988), mestrado em Psicobiologia pela Universidade de São Paulo - campus de Ribeirão Preto (1994) e doutorado em Psicobiologia pela Universidade de São Paulo - campus de Ribeirão Preto (1999). É professor Associado C do Departamento de Psicologia Geral e Análise do Comportamento da Universidade Estadual de Londrina. Atualmente desenvolve trabalhos de pesquisa na área da saúde, com ênfase na Psicologia da Saúde Infantil e do Adolescente sobre problemas de comportamento, promoção de saúde e adesão ao tratamento médico. Objetivos: (1) Desenvolver tecnologias para avaliação e intervenção comportamental de indivíduos com doença crônica e (2) Desenvolver estratégias educativas para promoção de saúde (prevenção primária e prevenção secundária). Mais recentemente iniciou investigações teóricas e aplicadas sobre o tema Desenvolvimento Infantil na perspectiva da Análise do Comportamento, com ênfase nas interações iniciais