Saúde mental e qualidade de vida de servidores públicos: avaliando protocolo de intervenção para dor

Bárbara Kolstok Monteiro, Maria de Jesus Dutra dos Reis, Mônica Fernanda Favoreto da Silva

Resumo


O presente estudo procurou avaliar os efeitos de um protocolo de intervenção comportamental para trabalhadores com dor crônica. Participaram cinco funcionárias públicas com idade entre 36 e 61 anos; três tinham o diagnóstico de fibromialgia, uma de enxaqueca e uma neurite. A intervenção foi programada utilizando um procedimento de linha de base múltipla em quatro fases: 1) linha de base; 2) módulo 1 (psicoeducação); 3) módulo 2 (relaxamento); 4) módulo 3 (estratégias de enfrentamento). Para avaliação foram utilizados: roteiro de entrevista; inventário de sintomas de stress para adultos de Lipp (ISSL); inventário Beck de depressão e de ansiedade; escala Fast e inventário WHOQOL-BREF. Registros individuais mostraram uma relação entre a intensidade da dor e pouca efetividade nas condições de trabalho (r=0,86; p

Palavras-chave


Dor crônica; Protocolo de intervenção comportamental; Saúde do trabalhador; Qualidade de vida; Indicadores de saúde mental

Texto completo: PDF

Revista Brasileira de Terapia Comportamental e Cognitiva ISSN 1517 - 5545
Associação Brasileira de Psicologia e Medicina Comportamental