Ativação comportamental: Apresentando um protocolo integrador no tratamento da depressão

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Paulo Roberto Abreu
Juliana Helena dos Santos Silvério Abreu

Resumo

A Ativação Comportamental (BA), embora venha sendo reapresentada à comunidade de pesquisadores e clínicos como uma dentre as novas terapias comportamentais de terceira geração, desponta desde a década de 1960 com uma longa história de pesquisas e aprimoramentos. Atualmente, coexistem mais de um modelo de protocolo desse sistema de psicoterapia. O presente artigo apresenta um protocolo integrador de BA para o tratamento da depressão unipolar adotado em contexto de clínica escola. Nele, três tipos de depressão são apresentados desde a sua concepção funcional, como a determinada por punição, a determinada por extinção operante e, ainda, a determinada por estimulação aversiva não contingente. Para cada tipo, são apresentadas análises funcionais e intervenções baseadas em propostas de ativação simples e/ou complexas. Ao longo das intervenções propostas, são também apresentadas interfaces de integração com outras abordagens de terceira geração, como a Psicoterapia Analítica Funcional (FAP) e a Terapia de Aceitação e Compromisso (ACT).

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Palavras-chave:
ativação comportamental, integração, depressão, psicoterapia analítica funcional, terapia de aceitação e compromisso
Como Citar
Abreu, P., & Abreu, J. (2017). Ativação comportamental: Apresentando um protocolo integrador no tratamento da depressão. Revista Brasileira De Terapia Comportamental E Cognitiva, 19(3), 238-259. https://doi.org/10.31505/rbtcc.v19i3.1065
Seção
Artigos Conceituais