Habilidades terapêuticas e limitações na aplicação das terapias de terceira geração no contexto latinoamericano

Wilber Roberto Castellón Mendoza

Resumo


Passaram-se 30 anos desde o surgimento e consolidação das terapias de terceira geração como parte das terapias cognitivo-comportamentais. Sua aplicação implica o desenvolvimento de habilidades terapêuticas que diferem parcialmente das utilizadas em outros modelos, sendo uma delas o exercício cotidiano e constante de formação de um terapeuta mindful. Ser um terapeuta mindful requer abertura para as filosofias orientais e a potencialização de vivências experienciais contemplativas na vida cotidiana. O contexto latino-americano apresenta particularidades que limitam a adequada prática das terapias de terceira geração. Entre as dificuldades do terapeuta, são citadas a pouca formação especializada, a superestimação dos modelos de primeira e segunda geração, a ignorância e apatia relacionadas ao esforço para ser um terapeuta mindful, o pouco conhecimento e menosprezo das filosofias orientais que dão sustentação ao mindfulness, as carências econômicas e a falta de oportunidades de muitos terapeutas comprometidos com a sua formação. Como limitações do contexto, são mencionadas a religiosidade com lócus de controle externo, a desconfiança das intervenções psicológicas baseadas na meditação e a inacessibilidade dos setores populares da população.

Palavras-chave


terapias de terceira geração; terapias cognitivo-comportamentais; mindfulness; habilidade terapêuticas; limitações terapêuticas; psicologia latino-americana

Texto completo: PDF

Revista Brasileira de Terapia Comportamental e Cognitiva ISSN 1517 - 5545
Associação Brasileira de Psicologia e Medicina Comportamental