Relações funcionais entre estímulos condicionais sociais, atenção conjunta, tato e mando em crianças com autismo

Main Article Content

Flávia Teresa Neves Silva Bacelar
Elizabeth Bezerra Neves
Carlos Barbosa Alves de Souza

Resumo

Déficits na atenção conjunta (AC), caracterizada como resposta de atenção conjunta (RAC) e iniciação de atenção conjunta (IAC), têm sido relacionados com os problemas de linguagem observados em pessoas com autismo. O estabelecimento do comportamento de outras pessoas como estímulos discriminativos/reforçadores condicionais pode ser importante para AC. Este estudo investigou, em três crianças com autismo, as relações funcionais que podem ocorrer entre o estabelecimento do comportamento de outras pessoas como estímulos discriminativos/reforçadores condicionais e os repertórios de RAC, IAC, tato e mando. Foram realizados treinos de repertórios de sessão e pré-testes da efetividade reforçadora/discriminativa de estímulos condicionais sociais, de RAC, IAC, mando e tato. Com base nos prétestes, foram definidas diferentes linhas de base entre os participantes para iniciar os treinos dos repertórios inexistentes e poder avaliar os efeitos de um ou mais repertórios sobre os demais. Os resultados sugerem uma independência funcional entre a aquisição de RAC, mando e tato e o estabelecimento de respostas a estímulos sociais.

Article Details

Como Citar
Bacelar, F., Neves, E., & Souza, C. (2018). Relações funcionais entre estímulos condicionais sociais, atenção conjunta, tato e mando em crianças com autismo. Revista Brasileira De Terapia Comportamental E Cognitiva, 19(4), 45-61. https://doi.org/10.31505/rbtcc.v19i4.1093
Seção
Pesquisas originais