Possíveis contribuições dos estudos de expressões faciais para a clínica analítico-comportamental

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Jean Luca Lunardi Laureano da Silva
Larissa Silva Sebastião
Renan Guilherme Almeida Fidalgo
Elza Maria Tavares Silva

Resumo

Pesquisas na área de expressões faciais vêm sendo realizadas, pelo menos nos dois últimos séculos, com a utilização de duas principais perspectivas: a evolucionista e a culturalista. Paul Ekman foi o responsável por sua articulação, trazendo diversas contribuições para a área da Psicologia, especificamente para o contexto clínico. Assim o objetivo da presente pesquisa foi apontar possíveis contribuições dos trabalhos de expressões faciais de Paul Ekman e de seus colaboradores para a clínica analítico-comportamental. Diferentemente do que a literatura psicológica tradicional identifica, o presente estudo possibilitou a verificação das expressões faciais enquanto comportamento verbal e não verbal. Diante desse fato, salienta-se a importância de treinos específicos para o psicoterapeuta, a fim de ampliar seu repertório no trabalho clínico, e de se atentar para a relação existente entre psicopatologia e expressões faciais.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Palavras-chave:
expressões faciais, análise do comportamento, psicoterapia
Como Citar
Silva, J., Sebastião, L., Fidalgo, R., & Silva, E. (2018). Possíveis contribuições dos estudos de expressões faciais para a clínica analítico-comportamental. Revista Brasileira De Terapia Comportamental E Cognitiva, 19(4), 74-87. https://doi.org/10.31505/rbtcc.v19i4.1095
Seção
Artigos Conceituais