contato

agenda

icons
eventos imagens2

O Teatro da Universidade de S√£o Paulo, a partir de 11 de abril de 2016, d√° in√≠cio ao XV¬†Ciclo do Programa TUSP¬†de¬†Leituras P√ļblicas.¬†A edi√ß√£o tem como tema ‚ÄúTeatro e Sociedade do Brasil nos Anos de 1960‚ÄĚ, e conta com textos de Lauro C√©sar Muniz, Br√°ulio Pedroso, Gianfrancesco Guarnieri, Jorge Andrade, Pl√≠nio Marcos, Nelson Xavier, Boal, ¬†Vianinha, e outros.

A abertura do ciclo acontece em São Paulo com o dramaturgo, encenador e professor Sérgio de Carvalho, que faz uma apresentação das obras em seu contexto histórico e sociocultural. A temática do ciclo foi sugerida justamente em função da temporada da Cia. do Latão, a partir de maio aqui no TUSP. Os textos no formato em que serão lidos resultam do trabalho do Laboratório de Investigação em Teatro e Sociedade (LITS), centro de pesquisa e estudos coordenado por Sérgio de Carvalho no Departamento de Artes Cênicas da ECA/USP.

O programa partiu dos textos criados para Primeira Feira Paulista de Opini√£o¬†(1968), que teve por mote a pergunta: ‚Äúo que pensa voc√™ do Brasil de hoje?‚ÄĚ, e inclui ainda¬†A Mais Valia vai Acabar, seu Edgar, de Oduvaldo Vianna Filho e¬†Mutir√£o em Novo Sol¬†de Nelson Xavier e Augusto Boal.¬†A luta de classes, a resist√™ncia e a censura s√£o temas que perpassam todos os textos deste Ciclo, al√©m de uma investiga√ß√£o est√©tica sobre uma dramaturgia brasileira, livre do modelo tradicional do drama burgu√™s, pol√≠tica e combativa.

O¬†Programa de Leituras P√ļblicas¬†prop√Ķe, a cada¬†ciclo¬†semestral, leituras de uma sele√ß√£o de pe√ßas teatrais a partir da obra de autores ou temas espec√≠ficos, realizadas pelo p√ļblico presente em encontros abertos com a coordena√ß√£o da equipe art√≠stic0-pedag√≥gica do TUSP. A a√ß√£o converge com o programa Universidade Aberta √† Terceira Idade, mas n√£o se limita, por√©m, a este p√ļblico. A media√ß√£o das Leituras √© realizada pelo¬†agente cultural do TUSP,¬†Otac√≠lio Alacran.

Confira o cronograma das leituras na capital:
11.04 | Abertura: Sérgio de Carvalho
25.04¬†| I Feira Paulista de Opini√£o (1¬ļ ATO)
09.05¬†| I Feira Paulista de Opini√£o (2¬ļ ATO)
23.05 | Mutirão em Novo Sol
06.06 | A Mais-valia Vai Acabar, Seu Edgar

Programação
11 de abril | Abertura Sérgio de Carvalho
Professor de Teoria e Crítica do Departamento de Artes Cênicas da USP e Diretor da Companhia do Latão, grupo que desde 1996 atua na reflexão crítica sobre a sociedade e na politização da cena.

25 de abril | I Feira Paulista de Opini√£o ‚Äď 1¬ļ ATO
A I Feira Paulista de Opini√£o foi organizada a partir de uma pergunta feita aos envolvidos: “O que pensa voc√™ do Brasil de hoje?”
O primeiro ato da Feira contou com colabora√ß√Ķes de Edu Lobo (‚ÄúTema‚ÄĚ), Caetano Veloso (‚ÄúEnquanto seu Lobo n√£o vem‚ÄĚ), Lauro C√©sar Muniz (‚ÄúO L√≠der‚ÄĚ), Br√°ulio Pedroso (‚Äú√Č tua a hist√≥ria contada‚ÄĚ), Ary Toledo (‚ÄúME E. U.U. Brasil Brasileiro‚ÄĚ) e Gianfrancesco Guarnieri (‚ÄúAnim√°lia‚ÄĚ).

09 de maio¬†| I Feira Paulista de Opini√£o ‚Äď 2¬ļ ATO
O segundo ato da Feira contou com colabora√ß√Ķes de¬†Jorge Andrade (‚ÄúA receita‚ÄĚ),¬†S√©rgio Ricardo (‚ÄúEspiral‚ÄĚ),¬†Pl√≠nio Marcos (‚ÄúVerde que te quero verde‚ÄĚ),¬†Gilberto Gil (‚ÄúMiserere‚ÄĚ) e Augusto Boal (‚ÄúA lua muito pequena e a caminhada perigosa‚ÄĚ).

23 de maio | Mutirão em Novo Sol, de Nelson Xavier e Augusto Boal
Escrita por Xavier e Boal em 1961 a partir do caso real de uma revolta de lavradores ocorrida anos antes em Santa F√© do Sul, interior de S√£o Paulo, Mutir√£o em Novo Sol √© um dos textos mais importantes do teatro brasileiro. Moderna e pouco conhecida, a pe√ßa inaugurou uma sequ√™ncia de espet√°culos de tem√°tica camponesa produzidos antes do golpe de 1964, influenciando o Cinema Novo do per√≠odo, e teve encena√ß√Ķes marcadas pela sofistica√ß√£o e experimentalismos in√©ditos no teatro √©pico brasileiro.

06 de junho | A mais-valia vai acabar, seu Edgar, de Oduvaldo Vianna Filho
A mais-valia, fundamento do modo de produ√ß√£o capitalista, √© o tema da pe√ßa A Mais-Valia Vai Acabar, Seu Edgar de Oduvaldo Vianna Filho (Vianinha).¬†Com di√°logos em versos rimados, a pe√ßa mostra a briga do Proletariado contra a explora√ß√£o econ√īmica dos Capitalistas. A encena√ß√£o de estreia, pelo Teatro de Arena em 1960, dirigida por Chico de Assis, contava com uma colagem de filmes¬†exibidos ao fundo do palco, selecionados e montados pelo cineasta Leon Hirszman.