Coleções

Coleção Memória Tipográfica

A maneira de se comunicar uma mensagem, expressar uma ideia, às vezes pode ser tão importante quanto o conteúdo em si, torná-lo mais eficaz ou marcante, ou até mesmo ter um alcance maior. Neste contexto, a tipografia transformou a arte de traduzir ideias em símbolos ao longo do tempo. A Coleção Memória Tipográfica, como o próprio nome indica, tem o propósito de resgatar e estimar a memória da indústria tipográfica no Brasil, tanto sua história e importantes nomes como suas técnicas e termos. As obras que compõem esta zelosa coleção foram publicadas originalmente a fim de orientar e guiar profissionais da área na arte de edição de livros, reunindo verbetes, relatos históricos, instruções e descrições de processos e técnicas.

Manual do Aprendiz de Compositor (1888), de Jules Claye, Revisão de Provas Tipográficas (1925), Dicionário de Termos Gráficos (1936) e Esboço Tipográfico (1907), três obras de Arthur Arezio,Questões Profissionais da Indústria do Livro (1924), de Antonio Bernardo Canellas,e Manual da Tipografia Brasiliense (1832), de René Ogier, ganham agora novas edições, fidedignas, anotadas e modernizadas, como modo de recuperar as lembranças desse nobre ofício. Embora idealizadas àqueles que buscavam abraçar a profissão no fim do século XIX e início do XX, as obras aqui reunidas aproximam e guiam o leitor de modo leve e claro no universo de prelos, páginas, tipos e palavras.

Coleção Reserva Literária

A Coleção Reserva Literária tem como proposta o resgate de obras de ficção brasileirasesquecidas ou fora de circulação, mas de interesse artístico e cultural permanente. Nesse sentido, vem repor em circulação livros de autores mais oumenos célebres, de valor incontroverso, mas que se confinaram ou numa única, ounuma última edição antiga e rara. A seleção dos volumes desta série editorial seráorientada por esses critérios, no intuito de convidar o leitor a conhecer textosficcionais de leitura prazerosa, que evocam aspectos da cultura e da sociedadebrasileira de tempos já distantes, mas muito interessantes.

Os livros da Coleção materializam parte da proposta da disciplina CJE0393 – Introdução à Ecdótica –, empenhada emoferecer aos seus alunos uma reflexão teórica e uma experiência prática de edição detextos literários segundo os conceitos e métodos estabelecidos pela Ecdótica e pelaCrítica Textual. Assim, a Reserva Literária se dispõe a produzir a edição fac-similar ediplomático-interpretativa de uma obra literária em meio digital, e a estabelecer otexto da mesma obra para uma edição fidedigna, modernizada e anotada, a serpublicada em livro pela Com-Arte, em coedição com a Edusp.

Coleção Universidade e Sociedade

A coleção visa à edição de pesquisas acadêmicas inéditas, voltadas a questões sociais brasileiras, sob diversos enfoques e uma perspectiva multidisciplinar de modo a retribuir à sociedade os conhecimentos debatidos e produzidos nas universidades.Extrair do cientista sua força criadora e convidar o leitor a redescobrir o mundo, eis os principais desafios dos livros que integram essa coleção.

Lançado em 2017, Diplô: Paris-Porto Alegre é o primeiro volume da coleção. O livro é resultado do trabalho de mestrado em história social de Juliana Sayuri, que hoje é também doutora na área. A obra foi finalista do Prêmio Jabuti em 2017 na categoria comunicação. A autora coloca em cena os movimentos sociais e as reivindicações que pautaram o Fórum Social Mundial, sob o lema “Um outro mundo é possível”. Nas páginas do livro se desvela o pensamento crítico que nasce nas ruas e nos debates intelectuais, entre jovens e velhos militantes, com as palavras de ordem, seus sonhos, suas vozes dissonantes e seus projetos. Movimentos, enfim, que buscam recolocar o homem e a sociedade no curso da história, não no fim dela.

O segundo volume Mulheres de Maternidade Impedida, de 2019, se baseia em experiências de mães que, presas a condições precárias e instáveis de vida, viram-se obrigadas a entregar seus recém-nascidos à adoção. O livro parte de conversas com duas mulheres – que levaram a histórias de outras mais – em uma instituição de acolhimento para gestantes. A obra critica as contradições e impotências do poder público que abriga mães durante a gravidez, mas não lhes oferece apoio para viabilizar a permanência com os filhos a partir do momento em que estes nascem. A autora, sem se entregar aos formalismos da escrita acadêmica, aborda a dimensão psíquica da maternidade impedida, mas fala na urgência de se implementarem políticas sociais nos campos de assistência, trabalho e justiça que transformem os destinos de tais mães e de seus filhos.

Coleção Editando o Editor

Em 1989 foi publicado o primeiro título da coleção Editando o Editor, idealizada por Jerusa Pires Ferreira e dirigida pela própria pesquisadora e pelo editor Plinio Martins Filho. O projeto propõe resgatar e registrar a experiência editorial no Brasil, por meio de depoimentos dos profissionais do livro que contribuíram para o desenvolvimento da cultura e do mercado editorial no país. Os depoimentos foram gravados, selecionados e, finalmente, editados, respeitando-se o pensamento de cada um desses profissionais, o fluxo de seu discurso, seu ritmo próprio, seus saberes peculiares, suas formas de expressar a vida, experiência e trabalho. Cada volume reúne relatos do perfil, estilo, atuação, trajetória, os erros e acertos, impasses e ousadias de importantes figuras do meio editorial. Procurou-se situar a persona, os perso­nagens e observar sua inserção na história cultural do país, reunindo, sem discriminar, editores de vários tipos: Jacó Guinsburg, Flávio Aderaldo, Ênio Silveira, Arlindo Pinto de Souza, Jorge Zahar, Cláudio Giordano, Samuel Leon, Plínio Augusto Coêlho, Guilherme Mansur.

Coleção Primeira Impressão

Lançada em 1998, a coleção Primeira Impressão tem como objetivo publicar obras de autores inéditos. Com temáticas e estilos variados, os textos que compõem os livros da coleção são cativantes e incitam o leitor a refletir. As obras também contam com ilustrações de diversos artistas, alguns já renomados e outros também inéditos, abrindo espaço para novos nomes no mercado literário. Composta por doze livros em formato 13 x 19 cm, é quase uma coleção de bolso, por suas características simples e leves.

Coleção Clássicos do Jornalismo Brasileiro

Composta por seis obras que abordam diversas facetas e problemáticas do jornalismo no país, cada volume reúne escritos de autores que se fizeram presente no meio de alguma maneira ao longo dos últimos tempos. Ainda que decorridos alguns anos desde a publicação de determinados textos, a maioria ainda se faz pertinente e atual.

O primeiro volume, de Carlos Lacerda, destaca a formação do ofício no Brasil e compreensão de seu cerne. Em seguida, o de Alceu Amoroso Lima, aborda os conceitos de gênero literário, com o intuito de compreender o local da produção jornalística nesse meio. A terceira obra, de Luiz Beltrão, foca na filosofia do ofício e no quarto volume, Rui Barbosa faz um questionamento sobre o dever e importância do jornalismo.

Por fim, o penúltimo trata de diversos temas concernentes à reflexão e à prática jornalísticas, pela autoria de Danton Jobim. E o último livro, de Barbosa Lima Sobrinho, promove uma reflexão, discorrendo sobre questões fundamentais do trabalho do jornalista.

Coleção Memória Militante

Atualmente composta por sete volumes, a Coleção Memória Militante nasceu em 2013 com a proposta de fomentar reflexões acerca da ditadura militar brasileira a partir dos testemunhos de militantes que estiveram ativamente presentes nesse período. Ela conta com livros que são, em sua maioria, de caráter autobiográfico e não ficcional. Tais livros abordam, dentro da perspectiva do período, temas como a economia brasileira, o papel do Estado e o seu vínculo com os aspectos centrais da realidade brasileira, bem como as dificuldades enfrentadas pelos ativistas que se opunham ao regime ditatorial, como as prisões indevidas, torturas e mortes e jogos de poder.

Coleção Memória Editorial

Idealizada em 1990, em parceria com a Edusp, a coleção Memória Editorial visa a resgatar a história da editoração brasileira. Cada obra evidencia uma faceta do mercado editorial: os primeiros editores, casas editoriais de destaque, edições de importância cultural e entre outras temáticas. A coleção propõe não apenas preservar a memória editorial como também construir um panorama histórico, geográfico, político e cultural do país.

Os livros são frutos de intensa pesquisa pelos estudiosos Gustavo Sorá (doutor em antropologia pela UFRJ), LeilahBufrem (doutora em Ciências das comunicações pela USP), Aníbal Bragança (também doutor em Ciências das comunicações pela USP), Rosangela Oliveira Guimarães (pós-doutorado em comunicação e semiótica pela PUC-SP) e Didier Dias de Moraes (doutor em Design pela USP). Além disso, um dos livros da coleção, Design de Capas do Livro Didático: a Editora Ática nos Anos 1970 e 1980, de Didier Dias de Moraes, ganhou o prêmio Jabuti de 2018, na categoria Economia Criativa.

Coleção O Tradutor por Ele Mesmo

A Coleção o Tradutor por Ele Mesmo decorre de uma série de conversas com tradutores realizadas como parte da programação da Casa Guilherme de Almeida – Centro de Estudos de Tradução Literária. A ideia é apresentar a obra tradutória do interlocutor convidado e indagá-lo sobre suas motivações e sobre os princípios que norteiam suas traduções. Por meio da conversa, geralmente entremeada pela leitura de fragmentos dos livros na língua estrangeira e em português, busca-se despertar no público a consciência da elaboração que requer uma arte refém de sua invisibilidade: a tradução literária.

Coleção Econômica de Bolso

Feita em parceria com o Programa de Pós-Graduação em História Econômica (PPGHE-USP), a Coleção Econômica de Bolsos e propõe a editar documentos, pesquisas originais e textos inéditos, de autores nacionais ou estrangeiros, com a finalidade de disponibilizar para o grande público estudos de referência na área de História Econômica.