Sala de Imprensa - USP – Universidade de São Paulo
E-mail: 
Fone:   +55 11 3091-3220 / 3300
Podcast - 03/10/2013 - Imprimir Imprimir

Reitor fala sobre ranking e mudanças no sistema de eleição da Universidade

O reitor João Grandino Rodas abriu o programa de hoje, dia 3 de outubro, falando sobre o ranking divulgado ontem pela Times Higher Education, no qual a USP caiu do 158º lugar para a classificação entre o 226ª e 250ª. O dirigente ressaltou que, assim como a USP, outras universidades latino-americanas foram rebaixadas, o que caracteriza uma desvalorização de toda essa região geográfica. Outro fato que deve ser considerado é a relatividade das classificações já que, no mês passado, outro ranking importante, o QS World University Ranking, elevou a USP da 139ª para a 127ª colocação.

Porém, o desempenho da USP nesse ranking leva a uma reflexão sobre a necessidade do esforço de todos para a manutenção das posições já alcançadas e sobre o peso que tem a percepção externa da excelência da Universidade. “Em tais rankings, ao se analisar as universidades mais bem classificadas, a USP tem sido uma exceção no que tange a seu tempo de existência, tamanho e número de alunos de Graduação e de Pós-Graduação, o que significa que estamos superdimensionados para ser uma universidade de ponta, em comparação com as universidades mais bem classificadas do mundo. Além disso, falamos um idioma que não é internacional e não estamos localizados no chamado ‘centro do mundo’. Tais características, menos positivas, serão decisivas, em médio prazo, para a classificação da Universidade nos rankings internacionais e, dessa forma, suscitarão esforços cada vez mais pesados para que a USP se mantenha em boas posições”, considerou.

O “Palavra do Reitor” também falou sobre as decisões da reunião de terça-feira, dia 1º de outubro, do Conselho Universitário, que definiram mudanças no sistema de eleição para reitor e vice-reitor da USP. A primeira mudança diz respeito aos turnos da eleição, que, antes realizada em dois turnos, obedecerá, a partir de agora, a um sistema de turno único. A Assembleia Universitária será constituída pelo Conselho Universitário, Conselhos Centrais, Congregações das Unidades e pelos Conselhos Deliberativos dos Museus e dos Institutos Especializados, o que corresponde a cerca de dois mil representantes da comunidade universitária.

Outra mudança no sistema é que, a partir de agora, os candidatos a reitor e vice-reitor deverão fazer inscrição prévia de suas candidaturas, em forma de chapa, acompanhada do programa de gestão a ser implementado. Anteriormente, todos os professores titulares da USP podiam ser considerados como candidatos em potencial, sem necessidade de inscrição prévia e sem formação de chapa. Foi aprovado também que os candidatos a reitor e vice-reitor se desincompatibilizem de funções de chefia ou direção exercidas a partir da inscrição da candidatura. Também deverá ser realizada uma consulta à comunidade universitária — alunos, professores e funcionários técnico-administrativos — sobre a escolha de reitor e vice-reitor, de caráter informativo, e o resultado deverá ser divulgado cinco dias antes da data da eleição.

Para o processo eleitoral, foi estabelecido o seguinte calendário: as inscrições para as chapas serão entre os dias 7 e 14 de outubro. No dia 15 de outubro, haverá a divulgação das chapas inscritas. A consulta aos segmentos da Universidade, que indicará o desejo da comunidade, será no dia 10 de dezembro, último dia letivo. No dia 12 de dezembro, será divulgado o resultado da consulta e a eleição para reitor será no dia 19 de dezembro. A posse do novo reitor será no dia 25 de janeiro de 2014.

O reitor também falou do programa de inclusão digital Acessa São Paulo – que tem a Escola do Futuro da USP como parceira –, recentemente premiado pela Fundação Bill e Melinda Gates, tendo concorrido com mais de trezentos programas espalhados por 56 países; sobre o controle e a autorização para realização de viagens externas pela comunidade acadêmica; sobre a possibilidade de concessão do Prêmio de Excelência Acadêmica nesse ano; e sobre o Giro Cultural da Pró-Reitoria de Cultura e Extensão Universitária, que incluiu a Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin no roteiro Acervo Cultural.

O “Túnel do Tempo” resgatou um trecho do discurso de posse de Jânio Quadros, em 1953, quando foi eleito prefeito da cidade de São Paulo.

A seguir, ouça a íntegra do programa. Os ouvintes podem enviar suas dúvidas e comentários para o e-mail: radiousp.reitoria@usp.br .

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

•  •  •  •