Sala de Imprensa - USP – Universidade de São Paulo
E-mail: 
Fone:   +55 11 3091-3220 / 3300
Podcast - 07/11/2013 - Imprimir Imprimir

Reitor comenta sobre programa Nuvem USP e o desempenho da graduação

O Programa “Palavra do Reitor” desta quinta-feira, 7 de novembro, que é veiculado das 8h às 9h, ao vivo, pela Rádio USP, começou com o reitor João Grandino Rodas falando das notícias sobre as últimas reuniões de negociação ocorridas entre os representantes dos alunos e a Comissão de negociação da Universidade e a ordem de reintegração de posse do prédio ocupado pelos alunos expedida pelo Tribunal de Justiça. “A Universidade espera que o bom senso triunfe e a desocupação se faça voluntariamente. Tanto mais, que ouve esforço importante por parte da Universidade em atender as reivindicações feitas durante as negociações”.

Em relação à ordem judicial para desocupação do prédio, o reitor explicou que “O recurso à justiça em caso de invasão e depredação de patrimônio público é dever de ofício de qualquer agente do Estado. Uma vez concedida a reintegração de posse e notificado os invasores, devem estes, sob pena de desocupação forçada, sair dos locais invadidos. No caso concreto, o desembargador do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo que concedeu a liminar, expressamente escreveu em sua decisão que antes de assiná-la, havia contatado as autoridades de Segurança Pública para que procedessem a desocupação imediata. Ontem, quarta-feira pela manhã, os ocupantes foram notificados por oficial de justiça a deixar o prédio. Portanto, a desocupação forçada independe de decisão minha ou de qualquer agente da Universidade”. Ele ressaltou que não tem conhecimento de quando será feita a desocupação, pois esta decisão “está na mão da Justiça e dos poderes que vão executá-la”, declarou.

Sobre a sucessão eleitoral, ele explicou uma dúvida sobre o que acontece quando o reitor em exercício no cargo atinge a idade máxima para atuar no serviço público, e então se aplica a aposentadoria compulsória. “O reitor da Universidade também está sujeito as regras de aposentadoria. E então, seguindo interpretação majoritária e mais segura da norma jurídica, no caso do mandatário administrativo máximo da Universidade, deverá ser convocada nova eleição para reitor, em 60 dias, pois não é prevista a ascensão do vice-reitor. Neste caso hipotético, a Universidade seria submetida a novo processo eleitoral, com todas as suas decorrências”.

O reitor também destacou as diferenças do projeto do supercomputador com a Rice University e a implantação do projeto Nuvem USP. Enquanto que o projeto de “compartilhamento do supercomputador com a Rice University é um acordo de cooperação, em que estão previstos intercâmbios de docentes e pesquisadores, elaboração conjunta de pesquisa, organização de eventos, publicações acadêmicas”, o “projeto Nuvem USP foi implantado para eficácia da polícia de gestão administrativa descentralizada e eficiente, bem como para impulsionar as pesquisas científicas, proporcionando aos pesquisadores ambientes virtuais para armazenamento e processamento de dados com maior rapidez e com maior segurança. Porque, sendo a Nuvem da USP não há facilmente intervenção de terceiros”, esclareceu. Ele relembrou ainda das principais características da Nuvem USP, que passou a atuar em três frentes: corporativa, educacional e científica, abrangendo o ensino, a pesquisa, a extensão e o gerenciamento administrativo; da história de sua implantação na Universidade; os benefícios que proporciona e a atuação do projeto.

Outra pergunta respondida foi sobre o boato de que há planos para demolições na área da Escola de Comunicações e Artes (ECA), para a qual o reitor disse que “não há previsão para mais demolições. Há sim, como todos poderão ver, um renascer daquela área com prédios novos que servirão a Universidade nas próximas décadas”.

O dirigente falou sobre como ele vê o desempenho da graduação durante sua gestão, na qual foram criados dois programas especiais na área de infraestrutura: o Programa de Recuperação dos Espaços Didáticos e o Programa de Apoio à Criação de Laboratórios para Ensino Prático de Graduação, além dos investimentos em bolsas. “O que fizemos foi instituir o Programa de Auxílio ao Estudante, com o objetivo de dar suporte aos alunos de graduação com comprovada carência socioeconômica. Fazem parte desse programa o auxílio-livros, auxílio-transporte, auxílio-transporte emergencial, auxílio-alimentação, auxílio-moradia e auxílio-moradia emergencial.” A ampliação de programas já existentes também foi comentada, como o Embaixadores USP e o Programa de Inclusão Social (Inclusp), e a criação de outros, como o Programa de Preparação para o Vestibular da USP.

Uma boa notícia também foi abordada, a de que a Fundação Getúlio Vargas e a USP são as únicas universidades brasileiras presentes no Emerging Employability University Ranking, um levantamento que elenca as melhores instituições de ensino superior do ponto de vista das empresas, seguindo os conceitos de empregabilidade.

A seção “Túnel do Tempo” apresenta entrevista do marechal Eurico Gaspar Dutra, na manhã de 25 agosto de 1954, uma 1h30 antes do suicídio de Vargas, falando sobre o que ficou acertado na madrugada daquele dramático dia durante a histórica reunião do ministério de Vargas, mas que não foi cumprido. A dica cultural desta semana é a 1ª Bienal Internacional de Teatro da USP, que vai até 15 de dezembro, e apresenta uma seleção de produções internacionais e nacionais, que se destacam pela ousadia em desafiar padrões estéticos vigentes, cuja programação completa pode ser conferida pelo site da Bienal.

A seguir, ouça a íntegra do programa. Os ouvintes podem enviar suas dúvidas e comentários para o e-mail: radiousp.reitoria@usp.br .

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

•  •  •  •