Sala de Imprensa - USP – Universidade de São Paulo
E-mail: 
Fone:   +55 11 3091-3220 / 3300
Blog da USP - 07/07/2014 - Imprimir Imprimir

Centro de Caracterização de Espécies Minerais, com sede no IFSC, é inaugurado

O Centro de Caracterização de Espécies Minerais (CCEM) foi inaugurado no dia 1º de julho, terça-feira, cujo laboratório vai funcionar no Instituto de Física de São Carlos (IFSC) da USP. O Centro é o primeiro do gênero no Brasil e tem como um dos objetivos desenvolver novos materiais e melhorar o processo de produção de companhias mineradoras.

O projeto resulta de uma colaboração entre o Instituto de Geociências (IGc), o Grupo de Cristalografia do IFSC, ambos da USP; o Grupo de Espectroscopia RAMAN, do Departamento de Física da Universidade Federal do Ceará (UFC); e o Departamento de Geociências da Universidade do Arizona (Estados Unidos), instituição considerada um dos mais importantes centros de caracterização de espécies minerais do mundo.

De acordo com o professor do IFSC, Javier Ellena, o grande incentivador e responsável pela colaboração entre os grupos brasileiros com a Universidade do Arizona é Marcelo de Andrade, que realizou seu pósdoutorado com supervisão de Robert T. Downs, nessa universidade, por cerca de dois anos, no âmbito do Programa Ciência sem Fronteiras, do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

O grupo de Mineralogia e Cristalografia de Downs dedicase a caracterizar espécies minerais de diversas partes do mundo. Um bom exemplo é o novo projeto que os pesquisadores estão desenvolvendo para o sistema de difração do “Curiosity”, robô da Agência Espacial Norte Americana (NASA) que serve como instrumento às pesquisas realizadas em Marte.

Utilização em outras áreas

Os pesquisadores contam que o equipamento de Espectroscopia Raman foi aprovado por meio do Programa Equipamentos Multiusuários (EMU), ligado ao Programa Jovem Pesquisador, da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp). A ideia é que, além de amostras de minerais, o equipamento possa ser utilizado também em outras áreas, como a farmacêutica e a biológica, por exemplo. “Nós conseguimos um equipamento versátil e robusto, para que os pesquisadores tenham facilidade em utilizar a ferramenta nas diferentes áreas”, afirma Ellena.

O equipamento de espectroscopia permite que um pesquisador veja cada composto químico inserido numa rocha, em cores diferentes. É possível fazer uma leitura dinâmica da rocha ou outro objeto analisado pelo equipamento. De acordo com Ellena, o intuito principal do Centro é obter dados das composições químicas de forma mais profunda. “Do ponto de vista estratégico e econômico, este projeto tem uma valia extremamente grande, pois muitas dessas pesquisas são importantes para a elaboração de estratégias de exploração de recursos minerais”.

Atualmente, existem aproximadamente 5 mil espécies minerais registradas pela Associação Mineralógica Internacional (IMA). De acordo com estes dados, existem apenas 60 novas espécies minerais caracterizadas no Brasil. Para Andrade, esse é um dado preocupante, uma vez que o País possui grande investimento na área de mineração. “Dessas 60 espécies brasileiras, o nosso grupo é o responsável pela identificação e caracterização de 7 delas, só nos últimos anos”.

O novo Centro de Caracterização será uma referência em termos nacionais. Javier Ellena conta que a ideia do projeto é inédita, porque o trabalho abrangerá diversas áreas: “Nosso grupo é pioneiro na área de Cristalografia; o professor Daniel Atencio, do Departamento de Mineralogia e Geotectônica da USP, é referência em pesquisas minerais; e o grupo liderado pelo professor Alejandro Pedro Ayala, que coordena a equipe da UFC, é um dos mais antigos do País que trabalha com a espectroscopia RAMAN. Então, conseguimos juntar esses três laboratórios, com o apoio do grupo de Mineralogia e Cristalografia da Universidade de Arizona.”

Para os pesquisadores brasileiros, a colaboração entre os três laboratórios com o grupo norte-americano é fundamental para que possam ter o know-how de como unir esses grupos que atuam em diferentes vertentes de pesquisa.

(Com informações da Assessoria de Comunicação do IFSC)

•  •  •  •

Deixe um comentário

Política de moderação de comentários

Este blog reserva-se o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou outros princípios da boa convivência. Dessa forma, serão suprimidos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa ou falsidade ideológica.