Sala de Imprensa - USP – Universidade de São Paulo
E-mail: 
Fone:   +55 11 3091-3220 / 3300
Blog da USP - 13/01/2015 - Imprimir Imprimir

Projeto Chuva Online, do IAG, realiza o monitoramento da chuva

O Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG) lançou, no final do ano passado, o Projeto Chuva Online, sob a coordenação do professor Carlos Augusto Morales Rodriguez, do Departamento de Ciências Atmosféricas.

Mini radar instalado no topo da torre do Pelletron, no Instituto de Física (IF), na Cidade Universitária

A iniciativa conta com dois mini radares meteorológicos instalados em prédios da Universidade: um na caixa d’água da EACH, na Zona Leste de São Paulo, e outro no topo da torre do Pelletron, no Instituto de Física (IF), na Cidade Universitária.

Um dos objetivos do projeto é testar uma nova tecnologia de monitoramento meteorológico capaz de monitorar a chuva com alta resolução espacial e temporal, muito útil para cidades de pequeno e médio porte. Os mini radares foram configurados para terem um alcance de 21 quilômetros com uma resolução de 90 metros e varreduras a cada 5 minutos.

“É uma tecnologia simples que poderá ser adotada por várias cidades e por empresas que precisam saber onde está chovendo e se existe probabilidade de ocorrer alagamentos em ruas e bairros, por exemplo”, explica o professor Carlos Morales, do IAG. Cada equipamento tem um custo de cerca de R$ 350 mil, enquanto um radar meteorológico convencional pode custar até R$5 milhões. Outra vantagem é que o equipamento, com peso de 100 quilos, é portátil e pode ser alimentado pela rede elétrica comum.

Dados em tempo real

Juntos, os dois mini radares coletarão informações meteorológicas da Região Metropolitana de São Paulo. Os dados estarão disponíveis em tempo real e online, no portal do projeto. Na EACH, dois monitores de alta definição exibirão as informações obtidas pelo radar, enquanto no IAG esses dados serão mostrados em um videowall.

O portal Chuva Online disponibiliza suas funcionalidades em mapas geo-referenciados, com alta resolução, além de detalhes sobre os projetos Chuva Online, SIGINURB e CEPED da USP

O Chuva Online é um dos projetos que compõem o Sistema Integrado de Gestão da Infraestrutura Urbana (SIGINURB) da Prefeitura do Campus da Capital da USP (PUSP-C). Coordenado pelo professor Sidnei Martini, da Escola Politécnica (Poli), o SIGINURB busca aperfeiçoar a operação da infraestrutura urbana. Com o Chuva Online, a Prefeitura do Campus da Capital testará tecnologias que subsidiam o gerenciamento de pequenas cidades.

Ambos os projetos interagem com ações do Centro de Estudos e Pesquisas em Desastres da USP (CEPED). Com a aprovação do projeto PRÓ-ALERTA do CEPED pela Coordenadoria de Aperfeiçoamento em Pessoal de Nível Superior (CAPES), coordenado pelos professores Carlos Morales e Hugo Yoshizaki, a rede do Chuva Online também será utilizada na capacitação de especialistas do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden) e da Defesa Civil do Estado de São Paulo.

Com esses radares e essa tecnologia, os cursos de graduação e pós-graduação da USP passam a contar com ferramental importante para capacitar alunos na área de meteorologia por radar, além de viabilizar o desenvolvimento de aplicativos e fazer previsão de tempo de curtíssimo prazo.

O mini radar no IF foi instalado por meio de projeto do IAG com a PUSP-C. Na EACH, foi feita uma parceria do IAG com a empresa Climatempo e a Fundespa. Essa rede de mini radares também passará a receber dados de um terceiro radar meteorológico, a ser instalado no Parque da Água Funda, onde o IAG mantém sua Estação Meteorológica. Esse terceiro radar será operado pela Fundação Centro Tecnológico de Hidráulica (FCTH), com apoio do governo francês, e está previsto para ser instalado em fevereiro.

(Com informações da Agência USP de Notícias)

•  •  •  •

Deixe um comentário

Política de moderação de comentários

Este blog reserva-se o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou outros princípios da boa convivência. Dessa forma, serão suprimidos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa ou falsidade ideológica.