Sala de Imprensa - USP – Universidade de São Paulo
E-mail: 
Fone:   +55 11 3091-3220 / 3300
Press release - 18/12/2015 - Imprimir Imprimir

Procuradora da USP é internada após agressão em São Carlos

A procuradora da USP que atua no campus de São Carlos, Alessandra Pinto Magalhães, foi internada às pressas na última segunda-feira, dia 14 de dezembro, depois de ter sido ofendida, humilhada e confrontada com agressividade em ações perpetradas por advogados e familiares de pacientes que queriam obter a substância fosfoetanolamina.

Tal truculência se estendeu a diversos servidores do campus que também prestam serviço na Procuradoria e que foram igualmente vítimas de ofensas e humilhações. Houve, inclusive, a necessidade da intervenção da Guarda Universitária para restabelecer a ordem e evitar consequências mais graves.

A procuradora ficou internada durante todo o dia 14, com suspeita inicial de ter sido vítima de um AVC ou infarto, prognóstico que foi descartado após a realização de uma bateria de exames. Após ter alta no dia seguinte, Alessandra regressou ao trabalho no dia 17, por orientação médica.

Devido a esses lamentáveis fatos e de forma a salvaguardar a integridade física dos servidores, a partir da próxima segunda-feira, dia 21, todas as demandas judiciais relacionadas à fosfoetanolamina serão recebidas por um grupo específico de atendimento, que estará localizado na Área – 2 do Campus USP de São Carlos, no Edifício da Biblioteca.

A USP compreende a ansiedade das pessoas que buscam por soluções relacionadas com seu bem-estar e saúde. Contudo, a Universidade sempre se norteará pelas decisões judiciais cabíveis, rejeitando, em simultâneo, toda e qualquer forma de violência que atente a integridade física de seus servidores.

(Com informações da Assessoria de Comunicação do Instituto de Física de São Carlos)

•  •  •  •