Sala de Imprensa - USP – Universidade de São Paulo
E-mail: 
Fone:   +55 11 3091-3220 / 3300
Blog da USP - 27/01/2017 - Imprimir Imprimir

Cinusp abre temporada 2017 com a mostra “30 Tons de Noir

O Cinema da USP (Cinusp) Paulo Emílio abre a temporada de 2017 com a mostra “30 Tons de Noir“, em cartaz entre os dias 30 de janeiro e 19 de fevereiro. A mostra conta com 30 filmes do gênero que se iniciou nos anos 1930 na França e se consolidou nos Estados Unidos após a Segunda Guerra Mundial.

2017.01.27 - Mostra Cinusp - A Cadela

Cena do filme “A Cadela” (1931), do francês Jean Renoir

O termo film noir foi inicialmente usado pela crítica francesa para se referir, em tom pejorativo, a obras consideradas demasiadamente pessimistas de diretores como Jean Renoir, Marcel Carné, Julien Duvivier, Jean Grémillon e Jacques Feyder, todos presentes nesta mostra. Esses diretores foram centrais para o movimento chamado Realismo Poético e entre suas obras exibidas estão: “A Besta Humana”, de Jean Renoir, “O Demônio da Algéria”, de Julien Duvivier e “Cais das Sombras”, de Marcel Carné.

Após a 2ª guerra, com a exibição na França de filmes norte-americanos, críticos franceses encontraram semelhanças entre o Realismo Poético francês e obras como “O Falcão Maltês”, de John Huston, “Laura”, de Otto Preminger, “Farrapo Humano” e “Pacto de Sangue”, de Billy Wilder, todas presentes nesta mostra. Assim como os filmes franceses, a produção norte-americana de film noir formava um quadro geral que negava o maniqueísmo, rejeitando os rígidos padrões morais da época.

O film noir  também representou a incorporação ao cinema norte-americano de traços do cinema europeu, graças à imigração de profissionais do cinema impulsionada pela Segunda Guerra Mundial. Um desses profissionais foi o alemão Fritz Lang, com dois filmes presentes na mostra:  “M, O Vampiro de Dusseldorf” e “Almas Perversas”, uma refilmagem produzida nos EUA do filme “A Cadela”, de Jean Renoir, também presente na mostra. Já o italiano Luchino Visconti foi assistente de direção de Renoir no filme “Toni”, e está representado na mostra com o filme “Obsessão”.

Com estes filmes, a mostra 30 Tons de Noir pretende realçar a influência da filmografia francesa no que se convencionou chamar de cinema noir americano. Longe de querer encontrar uma gênese para o gênero americano, o intuito é aproximar duas cinematografias separadas por um oceano e uma década, além de apresentar clássicos franceses poucos exibidos no Brasil.

As sessões são gratuitas e acontecem na Cidade Universitária, de segunda a sexta-feira, às 16h e às 19h; e no Centro Universitário Maria Antonia, aos sábados e aos domingos, às 16h, às 18h e às 20h. A sala do Cinusp na Cidade Universitária fica na Rua do Anfiteatro, 181, Colmeia, Favo 4, e a sala Maria Antonia está localizada na Rua Maria Antônia, 294 – Consolação, São Paulo.

Confira a programação completa da mostra no site do Cinusp. Mais informações pelo telefone: (11) 3091-3540 ou por e-mail: cinusp@usp.br.

(Com informações do Cinusp)

•  •  •  •

Deixe um comentário

Política de moderação de comentários

Este blog reserva-se o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou outros princípios da boa convivência. Dessa forma, serão suprimidos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa ou falsidade ideológica.