english | español | acesso restrito | t (55 11) 3813.1444 | f (55 11) 3032.8334 | nereus@usp.br

Tese de Doutorado do NEREUS vence o prêmio de melhor Tese de Economia Rural da SOBER

Por Weslem Rodrigues Faria

A Sociedade Brasileira de Economia, Administração e Sociologia Rural (SOBER) concede prêmios para teses e dissertações relacionadas à Economia Rural. O Prêmio Edson Potsch Magalhães é concedido à Melhor Tese de Doutorado em Economia Rural. Neste ano, a Tese de Weslem Rodrigues Faria, doutor pelo IPE/USP e pesquisador do NEREUS, foi a vencedora deste prêmio.

O problema de pesquisa

A Tese, intitulada Modelagem e avaliação de fenômenos relacionados ao uso da terra no Brasil, teve como objetivo principal o desenvolvimento de um modelo de equilíbrio geral computável (EGC) com especificação detalhada do uso da terra para o Brasil. O desenvolvimento do modelo contou inicialmente com a motivação de se conhecer mais sobre os efeitos de mudanças climáticas sobre a economia brasileira. Os modelos EGC contam com a flexibilidade necessária para que problemas diversos possam ser analisados em contextos de economia real. Dessa forma, foi necessário encontrar uma forma de dialogar questões relacionadas às mudanças climáticas (e.g. temperatura e precipitação) e economia. A estratégia utilizada para relacionar estes dois elementos foi modelar o uso da terra de forma detalhada no modelo econômico. Tal avanço metodológico forneceu o mecanismo principal pelo qual efeitos climáticos pudessem ser avaliados no âmbito econômico. Além disso, tal pesquisa se inseriu no contexto de estudo da Economia das Mudanças Climáticas, que faz parte de um projeto maior cujo objetivo é elaborar um Modelo Climático Brasileiro capaz de integrar modelos de diversas áreas (e.g. energia, recursos hídricos e demografia). A finalidade deste modelo seria gerar resultados em que cada elemento destas áreas fosse considerado de forma integrada. O modelo desenvolvido na Tese teve também como objetivo, portanto, avançar na esfera econômica permitindo a ampliação da capacidade de integração entre a modelagem econômica e de outras áreas.

Metodologia

A especificação do uso da terra no modelo EGC foi aplicada, primeiramente, pelo lado da demanda. Isso foi alcançado com a introdução de uma estrutura aninhada para o fator terra com possibilidades de substituição entre os usos do composto de lavouras, pecuária e floresta. Em segundo, pelo lado da oferta, os usos da terra pelas atividades agrícolas foram definidos em termos físicos. Desta forma, modificações no retorno relativo da terra conduzem as variações do uso da terra de acordo com os diferentes usos possíveis. A estratégia de identificação dos usos da terra no modelo foi realizada atrelando os usos às atividades agrícolas correspondentes, mostrando-se distinta das estratégias encontradas na literatura. Com isso, pode-se construir um modelo com ampla capacidade analítica, podendo ser aplicado para investigar políticas que afetam direta ou indiretamente o uso da terra.

Análises realizadas com o modelo

Duas aplicações foram realizadas no contexto de análise de desenvolvimento do modelo. A primeira foi à mensuração dos efeitos econômicos de mudanças climáticas sobre o Brasil. Uma estratégia de integração entre os resultados de um modelo econométrico do uso da terra e o modelo EGC foi adotada nesta análise. A integração foi definida de forma que as mudanças climáticas produzissem deslocamentos na função de demanda por terra neste modelo. Para a construção dos choques foram consideradas projeções para temperatura e precipitação com base em dois cenários do IPCC, A2 e B2. Os resultados desta análise indicaram uma redução do PIB real nacional em ambos os cenários e nos intervalos de projeção. As atividades agrícolas foram as mais afetadas negativamente. A economia da maioria dos estados apresentou variação negativa do PIB real. A outra análise implementada foi a avaliação dos impactos regionais da mudança na produtividade da terra agrícola das lavouras entre 1996 e 2006. A mudança na produtividade agrícola produziu efeitos positivos sobre o PIB real nacional e da maioria dos estados.

Apoio financeiro e estrutura de pesquisa

A pesquisa contou com o apoio financeiro da Rede CLIMA, do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPQ) e da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (FIPE). A pesquisa foi desenvolvida principalmente no NEREUS, que forneceu imprescindível estrutura não apenas física, mas também interativa relacionada aos conselhos e ajuda dos pesquisadores membros. A pesquisa também contou com a estrutura do Regional Economics Applications Laboratory (REAL) da University of Illinois Urbana-Champaign (UIUC) oferecida pelo Prof. Geoffrey Hewings, membro do NEREUS e cujo incentivo e contribuição para o aperfeiçoamento do trabalho foram imprescindíveis.

Agradecimento especial

A Tese foi orientada pelo Prof. Eduardo Haddad, grande mentor não apenas na condução do estudo, mas também na construção da minha formação como pesquisador. Formação esta que se deve também à qualidade do Programa de Pós-Graduação em Economia do IPE/USP, a qual deixo especial agradecimento.


© Nereus – Todos os direitos reservados. | Home | Nereus | Equipe | Linhas de Pesquisa | Projetos | Publicações | Dados e Programas | Eventos | Notícias | Contatos | RSS | Mapa do Site